FOGO Incêndio em apartamento mobiliza bombeiros do DF As chamas teriam começado por volta das 15h30. Os bombeiros chegaram ao local e tentam combater o fogo. Às 16h12 havia oito carros na ação

Por: Correio Braziliense

Publicado em: 14/05/2018 16:40 Atualizado em: 14/05/2018 17:01

Além de combater o fogo, os bombeiros também trabalham no resgate de moradores. Foto: Sarah Peres/Esp. CB/D.A. Press
Além de combater o fogo, os bombeiros também trabalham no resgate de moradores. Foto: Sarah Peres/Esp. CB/D.A. Press

Um incêndio atinge um apatamento no 6º andar do bloco M da SQN 110 Norte, no Distrito Federal, na tarde desta segunda-feira (14). Do lado de fora do prédio, uma grande nuvem preta se formou, e labaredas grandes saíam das janelas e alcançavam a cobertura do edifício.

Segundo o Corpo de Bombeiros, ainda havia duas mulheres dentro do apartamento quando eles chegaram ao local, pouco antes das 16h. Em uma janela, elas protegiam o rosto do calor e da fumaça com toalhas. Assim, a prioridade passou a ser resgatá-las.
 
"Estamos encontrando problemas para entrar no apartamento, mas estamos conversando com as vítimas, que estão bem", chegou a informar o major Lourival Corrêa, do Corpo de Bombeiros. Cerca de 15 minutos depois, porém, homens do batalhão entraram no imóvel, usando um apartamento vizinho como passagem.

Às 16h50, uma das mulheres havia sido resgatadas e recebia atendimento em ambulância do Serviço Móvel de Atendimento Urbano (Samu). A outra ainda não havia sido vista fora do edifício.

As chamas teriam começado por volta das 15h30. Às 16h12, havia oito carros no local. A Polícia Militar também foi acionada para atuar no controle das pessoas, que começaram a se aglomerar em volta do prédio. Pistas do Eixinho W foram interditadas. Viaturas do Serviço Móvel de Atendimento Urbano também foram deslocadas ao local. 
 
A artista plástica Camilla Antunes, moradora da SQN 111, contou que, ao descer do prédio, se assustou com o movimento. "Muita fumaça. Levei um susto. Os bombeiros estavam dando voltas e tentavam tirar pessoas do prédio. Dava para ver algumas nas janelas. Os bombeiros também afastaram as pessoas, porque começaram a cair vidros”, contou Camilla. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.