• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
EXTINÇÃO Nascem dois filhotes de sauim-de-coleira no Zoológico de Brasília Os animais são uma espécie de primata que está ameaçada de extinção. O nascimento contribui para o plano de conservação nacional

Por: Correio Braziliense

Publicado em: 13/04/2018 12:27 Atualizado em:

Ainda não se sabe o sexo dos dois filhotes de sauim-de-coleira. Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília
Ainda não se sabe o sexo dos dois filhotes de sauim-de-coleira. Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília

Dois filhotes de sauim-de-coleira, espécie de primata ameaçada de extinção, nasceram no último sábado (7), na Fundação Jardim Zoológico de Brasília. Os animais são fruto de uma ação de estímulo à reprodução para contribuir no plano nacional de conservação. "A espécie está no nível mais grave de extinção. O plano de conservação dá uma chance para que o animal sobreviva no fututo. Temos que manter uma população genética e demograficamente viável para que seja dado início ao projeto de reintrodução. Este é um primeiro passo", afirmou o chefe dos mamíferos do Zoo, Filipe Reis.
 
Os pais, Tucupi e Tacacá, foram resgatados em Manaus (AM) pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis (Ibama). O casal chegou há menos de um ano ao Zoológico e teve o recinto adaptado para os hábitos da espécie, medida necessária para deixar o animal à vontade para exercer as atividades de maneira natural, incluindo a reprodução. 
 
Ainda não foi identificado o sexo dos recém-nascidos, isso porque, de acordo com o Zoológico, a instituição não adota práticas que interfiram no comportamento selvagem dos animais e é natural dos primatas que os pais cuidem dos filhotes. 
 
O sauim-de-coleira é um dos 25 primatas mais ameaçados do mundo. Nos últimos 20 anos, desapareceu aproximadamento 80% da população e estima-se que haja 10 mil indivíduos em vida livre. No futuro, os filhotes vão ser encaminhados para um dos quatro Zoológicos no Brasil, que participam do plano de conservação. O objetivo é estudar e garantir a variabilidade genética para que nasçam novos animais saudáveis. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.