• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
VIOLÊNCIA Morre jovem baleada durante troca de tiros entre traficantes e milicianos no Rio Evelyn da Silva Coelho, de 15 anos, foi baleada na última sexta-feira durante troca de tiros entre criminosos

Por: Agência Brasil

Publicado em: 11/02/2018 12:22 Atualizado em:

Morreu neste domingo no Hospital Miguel Couto, na Gávea, no Rio de Janeiro, a adolescente Evelyn da Silva Coelho, de 15 anos, baleada na cabeça, na última sexta-feira (9), na Praça Seca, em Jacarepaguá, durante troca de tiros entre criminosos. A jovem foi vítima de conflito entre traficantes de drogas e milicianos, que disputam desde o final do ano passado o controle dos pontos de venda de drogas da comunidade Bateau Mouche.

A comunidade da Covanca fica ao lado da comuniade Bateau-Mouche, onde os tiroteios ocorrem diariamente entre os dois grupos rivais.

Ao ser atingida gravemente na cabeça, a vítima foi levada por vários homens para a porta do quartel do Corpo de Bombeiros do bairro do Tanque e uma ambulância da corporação a transferiu para o hospital da zona sul. A adolescente perdia muito sangue e precisava ser operada imediatamente por um neurocirurgião.

Outra vítima
No mesmo dia, o menino Luís Miguel Oliveira, de apenas 7 anos,  morador do morro Bateau Mouche, também foi atingido de raspão por um tiro na clavícula esquerda. Ele brincava na sala de casa quando foi atingido por uma bala perdida. Os pais demoraram a levar a criança para ser atendida num hospital, porque não conseguiam sair de casa, devido ao intenso tiroteio entre milicianos e traficantes.

A mãe da criança chegou a comentar nas redes sociais: “Meu Deus, que guerra é essa? Meu filho foi baleado dentro de casa. Que desespero meu Deus”. Luís Miguel foi levado primeiro para a Unidade de Pronto-Atendimento do bairro de Campinho e transferida para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, onde foi medicado e, em seguida liberado.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.