• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
sem aprovação Servidores públicos protestam contra pacote de ajuste fiscal do governo do RN Centenas de servidores públicos cercaram a sede da Assembleia Legislativa no centro de Natal, no início da manhã desta quinta, 11.

Por: Agência Estado

Publicado em: 11/01/2018 15:57 Atualizado em:

Um dia após acordar o retorno dos policiais civis e militares ao trabalho nas ruas, depois de 21 dias de paralisação, o Governo do Rio Grande do Norte voltou a ser alvo de protestos. Centenas de servidores públicos cercaram a sede da Assembleia Legislativa no centro de Natal, no início da manhã desta quinta-feira, 11.

Hoje iniciaria a discussão em torno do pacote de ajuste fiscal composto por dezoito pontos - entre os quais aumento da alíquota da contribuição previdenciária e corte de gratificações, além de criação de previdência complementar - em convocação extraordinária dos parlamentares.

Por volta das 09h30, um dos primeiros deputados estaduais a chegar ao prédio foi Ricardo Motta, do PSB. Aos gritos de "ladrão" e "vagabundo", o parlamentar teve dificuldades em entrar por uma das portas alternativas da Casa Legislativa, pois foi cercado pelos servidores estaduais e acabou sendo atingido por um ovo. Policiais militares do BPChoque, que até esta quarta-feira, 10, estavam paralisados, escoltaram o parlamentar. Ele responde a processos de corrupção no Rio Grande do Norte e em Brasília, acusado de desviar quase R$ 20 milhões do Instituto de Meio Ambiente do Rio Grande do Norte.

Além do deputado, secretários também tiveram dificuldades para entrar na Assembleia Legislativa e foram alvos de protestos. Dos 24 deputados estaduais, 17 compareceram à sessão extraordinária e os projetos de ajustes fiscal acabaram não colocados em pauta. O Governo do Estado requereu regime de urgência na votação. O presidente da Casa, deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB/RN), abriu a sessão quase quatro após o horário regimental e destacou que o projeto não tramitará em regime de urgência e seguirá o curso natural, passando pelas Comissões pertinentes até a próxima terça-feira, 16, quando será posto para votação em plenário. Em seguida, Ferreira ele deu por encerrada a sessão desta quinta-feira. 

O governador Robinson Faria (PSD) não compareceu à votação. Na noite desta quarta-feira ele publicou um vídeo de 11 minutos nas redes sociais no qual destaca a necessidade da aprovação do pacote. "Estamos iniciando o maior pacote de ajuste fiscal da história do Rio Grande do Norte, o RN Urgente. Uma série de medidas fortes e necessárias, para reequilibrar as finanças do Estado. Se nada for feito, a despesa primária do estado seguirá em trajetória explosiva. É urgente que se tome todas as medidas para resolver a situação. Não podemos mais esperar. Em vez de olhar pra trás, temos de resolver o problema. Este pacote de medidas é bastante amplo. Nós vamos enxugar o Estado, e fazer a despesa caber dentro da receita", garantiu.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.