• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
sambódromo Câmara de São Paulo aprova privatização do Anhembíi Além disso, a SPTuris empresa oficial de turismo da capital paulista também teve sua venda aprovada

Publicado em: 05/12/2017 23:10 Atualizado em:

Foto: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil
Foi aprovado, nesta terça-feira, o projeto de lei que prevê a privatização do complexo do Anhembi, na Câmara dos Deputados de São Paulo. Além disso, a SPTuris empresa oficial de turismo da capital paulista também teve sua venda aprovada. 

O projeto, que agora irá para a senção do prefeito, recebeu 34 votos favoráveis, 11 contrários e três abstenções. Este é apenas uma das medidas que fazem parte do pacote de privatizações de concessões de Doria, já aprovado pelos vereadores. 

Antes mesmo da aprovação em primeira votação, que ocorreu em setembro, o projeto já havia sido modificado pela gestão João Doria (PSDB), após a bancada evangélica da Câmara pressionar pela permissão de eventos religiosos no Sambódromo. 

Inicialmente, o texto previa que o esaço ficaria à disposição para os ensaios e desfiles de escolas de samba durante 60 dias por ano. Agora, o sambóbromo ficará disponível para o Carnaval por 45 dias e, para eventos religiosos, 30 dias. 

A Prefeitura também já havia iniciado o processo de licitação do projeto, convocando instituições financeiras interessadas em participar do projeto a enviar suas propostas. 

O projeto foi aprovado com duas emendas que determinam que 20% do que for arrecadado com a venda seja investido na Zona Norte da cidade e a garantia de que os 350 funcionários da SPTuris não sejam demitidos. 

Na prática, o projeto prevê a venda, mas não define o que de fato poderá ser feito na área. Até o final do ano, a gestão municipal deve apresentar um novo texto em que será tratado dos índices e parâmetros de uso e ocupação do solo.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.