• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Resgate Casal resgata recém-nascida abandonada em caixa de papelão na chuva O bebê ainda tinha o cordão umbilical quando foi encontrado por um casal na manhã deste sábado

Por: Estado de Minas

Publicado em: 02/12/2017 10:18 Atualizado em: 02/12/2017 10:29

O casal acompanhou a bebê até o hospital Sofia Feldman. Foto: Arquivo pessoal
O casal acompanhou a bebê até o hospital Sofia Feldman. Foto: Arquivo pessoal

Uma recém-nascida foi resgatada em meio à chuva na manhã deste sábado (2) no Bairro Dona Clara, região da Pampulha, em Belo Horizonte. A neném foi abandonada ainda com o cordão umbilical em uma caixa de papelão, debaixo de uma árvore, em frente a um prédio. Um casal encontrou a criança, que chegou a se molhar. A Polícia Militar foi acionada e, em cerca de meia hora, buscou o menino e o levou para o Hospital Sofia Feldman. 

Segundo o Sargento Almeida, que fez o resgate, a bebê passa bem. A menina nasceu de uma gestação de 40 semanas e quatro dias, com peso de 2,550 kg e 47,5 centímetros. Ela estava vestida, com fralda, e embrulhada com um cobertor. De acordo com a médica que prestou atendimento, pelas condições em que foi encontrada, o parto foi entre 4h30 e 6h. 

A professora Renata Moreira Dutra, 43 anos, e o marido, o advogado Júlio César Moreira, de 50, acompanharam a criança até o hospital. Renata conta que sua funcionária Silvia Maria, 50, escutou gemidos quando ia à padaria, por volta das 6h30. Quando foi verificar, viu que era um recém-nascido. Ela se assustou e chamou o casal, que levou a bebê para casa e chamou a PM. “Nunca imaginei uma coisa dessas na vida, estou abaladíssima, é muito triste”, disse. 

Renata já tem dois filhos adultos e não pretende ficar com a criança, mas disse que a funcionária tem duas sobrinhas com muito interesse em adotá-la. “Gostaria muito que ela encontrasse uma família que desse amor, porque ser abandonada dessa forma é muito cruel”, disse. 

A professora acredita que os pais tenham deixado a filha na rua por desespero. “Pode ser uma moradora de rua ou alguém em situação financeira difícil, não julgo. Por mais que seja um ato de covardia, imagino que a mãe desse bebê não deve estar nada bem a uma hora dessas, porque não deve ser fácil fazer isso”, disse. 

A criança passou por exames e vai ficar em observação no hospital. Depois a assistência social vai encaminhá-la à Vara da Infância e Juventude provavelmente para passar por um processo de adoção. O sistema de inteligência da polícia está verificando o sistema de monitoramento do bairro em busca de quem abandonou a recém-nascida.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.