• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
saúde Empresa interrompe fornecimento de oxigênio após falta de pagamento do governo do MT A Help Vida, empresa responsável pelo atendimento, alega falta de pagamento por parte do governo do estado à White Martins, prestadora de serviço que faz a recarga de oxigênio

Publicado em: 01/12/2017 22:40 Atualizado em:

Foto: TVCA/Reprodução
Foto: TVCA/Reprodução
Pacientes que recebem terapia intensivo em casa, conhecido como home cara, correm risco de ser transferidos para UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) por falta de abastecimento dos cilindros de oxigênio. A Help Vida, empresa responsável pelo atendimento, alega falta de pagamento por parte do governo do estado à White Martins, prestadora de serviço que faz a recarga de oxigênio e que precisou suspender a atividade na quarta-feia (29). 

Procurada pelo G1, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT) passou a responsabilidade pela falta de dinheiro para o pagamento para a Secretaria Estadual de Fazenda (Sefaz-MT) que, por sua vez, não assumiu o problema. A Secretaria de Comunicação pediu para que a reportagem entrasse em contato com a Secretaria da Casa Civil, que afirmou que uma reunião será feita nesta quinta-feira (1º) com a empresa e familiares dos pacientes, para tratar do assunto.

A Help Vida é responsável pelo tratamento de 48 pacientes com o home care e, destes, 28 são de alta complexidade, dependendo dos aparelhos para respirarem. Para garantir a sobrevivência deles, a empresa precisará tranfiri-los para hospitais com UTIs. 

De acordo com a empresa, o Governo, a Justiça e o Ministério do Trabalho já tinham sido alertados sobre o risco de paralisação dos serviços no dia 14 de novembro. A Hel Vida informava, ainda, que estava há seis mese sem receber, uma dívida total de mais de R$ 6,5 milhões. 

No dia 21 de novembro, a Help Vida pediu à prefeituras de Cuiabá e Várzea Grande, região metropolitana da capital, a disponibilização de leitos para receber os pacientes. Após três dias, a empresa deu um ultimato, informando que não tinha mais condições de honrar os compromissos com os credores, apresentando uma notificação da empresa White Martins, dizendo que faria o últio abastecimento dos cilindros de oxigênio no dia 29 de novembro.

Nessa última notificação, a Help Vida afirmava, ainda, que o pagamento de R$ 1,1 milhão feito pelo governo para quitar o mês de junho não supria as necessidades da empresa e que, com o vencimento de mais um mês, a dívida continuava a mesma.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.