• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Câmara Maia quer discutir novo projeto contra tráfico de drogas e armas em fevereiro O presidente da Câmara disse pretende colocar em pauta o texto que propõe mudanças na legislação dos crimes de tráfico de drogas e de armas em fevereiro

Por: Agência Brasil

Publicado em: 01/12/2017 12:10 Atualizado em: 01/12/2017 12:22

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, diz que a Casa pode analisar em fevereiro de 2018 novo projeto contra tráfico de armas e drogas. Foto: Wilson Dias/Agência Brasil
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, diz que a Casa pode analisar em fevereiro de 2018 novo projeto contra tráfico de armas e drogas. Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

Ao participar hoje (1º) de debate sobre segurança pública, na Câmara de Comércio Americana, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, informou que, em fevereiro do ano que vem, pretende colocar em pauta o texto que propõe mudanças na legislação dos crimes de tráfico de drogas e de armas.

Ele lembrou que o tema já foi discutido com 19 secretários estaduais de Segurança Pública e é tratado por uma comissão de juristas coordenada pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal.

"É claro que a política de segurança não será resolvida apenas pela mudança das leis ou da Constituição. Essa modernização das leis, essa mudança que devemos discutir na Constituição - para que fique clara a responsabilidade da União na política de segurança pública - ajuda muito e todos nós na Câmara temos essa responsabilidade", disse.

Investimento

Ele disse também que o principal problema da segurança pública no país é a falta de financiamento e argumentou que a reforma da Previdência, por exemplo, é necessária para controlar os gastos públicos e permitir investimentos no setor.

"Qual é o principal problema de segurança? Entre outros, é como financiar a segurança pública. Se você não organizar o lado da despesa, não tem como conseguir dinheiro para a segurança pública, ou conseguir mais dinheiro para a educação infantil."

O deputado disse ser "realista" e afirmou que a proposta de reforma da Previdência ainda está "muito distante" dos 308 votos necessários para a sua aprovação e que vai continuar defendendo a votação, mesmo se for necessário realizá-la em ano eleitoral.

"Não consigo entender como alguém vai para a eleição, promete alguma coisa para as pessoas que precisam do Estado brasileiro, de uma educação de melhor qualidade, de uma saúde de melhor qualidade, sem discutir a Previdência. Quem vai para a eleição querendo prometer isso para as pessoas que precisam, sem discutir o Estado brasileiro, no meu ponto de vista, está mentindo e mentindo muito".

Erro

Após participar do evento, no qual também estava o secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, Roberto Sá, Maia disse que "talvez tenha sido um erro" pedir a exoneração do secretário na época dos confrontos constantes na favela da Rocinha, em setembro.

"Não cabe a mim discutir nomeação ou exoneração. Talvez tenha sido um erro meu, por ser morador do Rio de Janeiro, morador de São Conrado, por sempre ter convivido com uma relação maravilhosa com os moradores da Rocinha e São Conrado, ver aquela situação de descontrole."

Ao sair do evento, o secretário Roberto Sá disse que Maia e ele trabalham em sintonia e que conversaram sobre o assunto e se acertaram.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.