• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Minas Gerais Após vistoria, Defesa Civil interdita pavilhão da Ceasa Minas que pegou fogo Na ação, foram mobilizados 42 homens e 14 viaturas, as causas do incêndio ainda estão sendo investigadas pela Polícia Civil

Por: Agência Brasil

Publicado em: 12/09/2017 15:15 Atualizado em:


A Defesa Civil de Contagem (MG) interditou o pavilhão da Centrais de Abastecimento de Minas Gerais (Ceasa Minas), que pegou fogo na semana passada. O incêndio, de grandes proporções, começou às 12h45 da última quinta-feira (7). Os bombeiros trabalharam para conter as chamas até o dia seguinte. Foram mobilizados 42 homens e 14 viaturas. As causas do incêndio são investigadas pela Polícia Civil.

A estrutura do local foi comprometida. O telhado caiu e a parte mais afetada, localizada no meio do galpão, foi removida. "A interdição irá durar até que sejam feitos os reparos recomendados pela Defesa Civil. Após essas intervenções, uma nova vistoria deverá ser realizada", afirmou Samuel Lara, coordenador municipal de Proteção e Defesa Civil de Contagem.

Ao mesmo tempo, a Ceasa Minas irá contratar uma perícia particular e indicará qual a melhor saída para colocar o local novamente em funcionamento: reformar o pavilhão ou demolir e reconstruí-lo.

A Ceasa Minas é uma empresa de economia mista do governo federal, sob supervisão do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Voltada para o mercado atacadista de gêneros alimentícios, unidade abastece diversas cidades do seu entorno. A empresa está em funcionamento desde 1974 e se situa à margem da Rodovia BR-040, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Por causa do feriado, a Ceasa estava fechada para o público quando o incêndio começou e não houve vítimas. O fogo atingiu o Pavilhão G, o mais próximo da BR-040. No entanto, não foi necessária a interrupção do trânsito na rodovia. No pavilhão atingido, havia lojas de hortifruti e de defensivos agrícolas, além de uma distribuidora de bebidas.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.