• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Mistério Homem bate em carro de PM, é preso e morre em delegacia Luiz Cláudio faria aniversário no dia seguinte. Família não acredita em suicídio.

Publicado em: 16/07/2017 10:28 Atualizado em:

Um laudo preliminar do Instittuto de Criminalística (IC) e do Instituto Médico Legal (IML) da Polícia Civil apontou as causas da morte do motorista terceirizado da Caixa Econômica Federal em uma delegacia do Distrito Federal. Segundo apuração do Correio, os primeiros exames confirmam que Luis Cláudio Rodrigues, 48 anos, teria tentado contra a própria vida. O resultado completo do exame deve ser liberado até 30 dias.

O corpo foi liberado IML por volta das 14h deste sábado (15/7). Ao longo de toda a manhã, familiares estiveram no local aguardando a realização dos procedimentos. Um deles até tentou acompanhar a necropsia - o que não foi permitido.Apesar de a certidão de óbito descrever enforcamento, a família não acredita em um suicídio por parte de Luis Cláudio. "Pedimos um procedimento bem detalhado para apurar essa morte muito suspeita. Não havia motivos para o Luis se matar. Ele ia comemorar o aniversário hoje e estava bem empolgado com a festa", disse Marcos Eustáquio, 48, cunhado da vítima.

Luis Cláudio faria 49 anos neste sábado. Ele era motorista terceirizado da Caixa Econômica Federal (CEF) havia 28 anos. Atualmente, cuidava da presidência do banco. A vítima deixa um filho de 29 anos e dois netos. O velório está marcado para as 9h deste domingo (16/7), no Cemitério de Sobradinho.

Entenda o caso

Luis Cláudio Rodrigues, 48 anos, acabou detido por dirigir embriagado e bater no carro particular de um policial, por volta das 15h de sexta-feira (14/7). Segundo a Polícia Civil, o teste de bafômetro da vítima apontou 1,35 miligrama por litro de ar. A família chegou ao local por volta das 16h e, após o pagamento da fiança na 13ª Delegacia de Polícia (Sobradinho), o cunhado o encontrou sem vida dentro da cela.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.