• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
estradas Acidente com ônibus clandestino mata 10 pessoas em Salinas, Minas Gerais Veículo tombou na BR-251, na manhã desta segunda-feira, e outros 18 passageiros ficaram feridos. Motorista não se apresentou à PRF e pode ter fugido

Por: Estado de Minas

Publicado em: 19/06/2017 11:05 Atualizado em: 19/06/2017 11:13

Um ônibus saiu da pista e tombou na madrugada desta segunda-feira na BR-251 em Salinas, no Norte de Minas Gerais, deixando pelo menos 10 pessoas mortas e 18 feridas. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o coletivo fazia transporte clandestino de passageiros. O acidente ocorreu a dois quilômetros da área urbana de Salinas, no Km 317 da rodovia do Norte de Minas, que é rota desse tipo de transporte entre São Paulo e o Nordeste do Brasil.

Ônibus saiu da pista e tombou Foto; Thiago Santos/Divulgação
Ônibus saiu da pista e tombou Foto; Thiago Santos/Divulgação


O coletivo seguia de São Paulo com destino a Euclides da Cunha, na Bahia. A saída da pista ocorreu em uma curva e o local do acidente fica a 220 quilômetros do posto mais próximo da PRF. Segundo a corporação, o motorista não se apresentou à polícia e pode ter fugido do local do acidente. Ele também não tinha sequer uma lista de passageiros, exigência da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

O coletivo seguia de São Paulo com destino a Euclides da Cunha, na Bahia Foto: Thiago Santos/Divulgação
O coletivo seguia de São Paulo com destino a Euclides da Cunha, na Bahia Foto: Thiago Santos/Divulgação


Testemunhas informaram que o condutor teria cochilado no momento do fato. Os sobreviventes foram encaminhados à Polícia Civil de Salinas, onde prestam depoimento. Os corpos dos mortos estão embaixo do veículo e os militares do Corpo de Bombeiros de Montes Claros são aguardados para fazerem a remoção. 

magens divulgadas do ponto onde ocorreu a saída de pista mostram a presença de policiais militares, perícia da Polícia Civil, agentes da PRF, militares do Corpo de Bombeiros e socorristas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).




Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.