• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Educação Em visita ao Senado, ministro da Educação anuncia 'novo Fies' O novo programa deve focar na sustentabilidade do investimento

Por: Agência Estado

Publicado em: 16/05/2017 18:15 Atualizado em: 16/05/2017 18:45

Mendonça também criticou a condução do PT na pasta de Educação. Foto: José Cruz/ Agência Brasil
Mendonça também criticou a condução do PT na pasta de Educação. Foto: José Cruz/ Agência Brasil


O ministro da Educação, Mendonça Filho, afirmou que o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) será reformulado, para "aperfeiçoamento da gestão". Sem entrar em detalhes sobre a mudança, o ministro disse, durante audiência pública no Senado Federal, que busca ampliar o financiamento, mas de forma sustentável.

"Em poucas semanas vamos apresentar. Não posso adiantar as medidas que serão tomadas, mas quero assegurar que o direito dos estudantes ao financiamento educacional será preservado. Todas as medidas serão no sentido de valorizar e fortalecer o foco do programa para os mais pobres", afirmou. 
 
O ministro disse que o "novo Fies", como chamou o programa, vai focar na sustentabilidade do investimento. Por isso, a reformulação da proposta tem sido acompanhada pelo Ministério da Fazenda. "Temos discutido de forma intensa e aprofundado com a Fazenda algumas políticas públicas que possam aumentar a oferta de financiamento equilibrado, sem produzir rombos ou buracos para o contribuinte", disse. 

Mendonça também criticou a condução do PT na pasta de Educação. De acordo com ele, o partido deixou uma dívida de R$ 32 bilhões no Fies e não fez o investimento necessário na educação básica.

"O orçamento do MEC no primeiro ano de governo Temer foi ampliado, diferentemente da tese que foi propagada de que, com o teto do gasto, nós teríamos um impacto negativo no orçamento da educação. Foi o contrário, foi positivo. Vamos manter uma política que fortaleça o investimento em educação, priorizando a educação básica, que infelizmente foi pouco valorizada nos últimos anos."



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.