• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Alimentos Anvisa proíbe venda de paçoca por alto teor de substância cancerígena Os produtos interditados, da marca Dicel, excediam o limite permitido de aflatoxinas, substâncias tóxicas produzidas por fungos que podem causar câncer

Por: AE

Publicado em: 20/03/2017 20:16 Atualizado em: 20/03/2017 22:02

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) interditou nesta segunda-feira, 20, um lote de paçoca rolha da marca Dicel, produzida em Goiânia (GO). Os produtos interditados excediam o limite permitido de aflatoxinas, substâncias tóxicas produzidas por fungos que podem causar câncer.

Segundo a resolução, o lote 0027, fabricado em 18 de novembro do ano passado, com validade até 18 de novembro deste ano, estava impróprio para o consumo. O alimento é distribuído pela Indústria e Logística Westhonklauss Constante Ltda.

O laudo do Laboratório de Análise Micotoxicológicas, em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, atestou teores de aflatoxinas acima do limite máximo tolerado para amendoim com casca, descascado, cru ou tostado, pasta de amendoim ou manteiga de amendoim.

A interdição vale para todo o território nacional.

Procurada, a Dicel informou que não havia sido notificada sobre a interdição.

Lote de palmito também é proibido
Além da paçoca, a Anvisa proibiu ainda a distribuição e comercialização do lote 0001700 do palmito picado  da marca Mega Sabor. O alimento foi reprovado quanto aos ensaios laboratoriais de análise de rotulagem, teste de incubação e determinação potenciométrica.

A anvisa determinou, então, que a empresa recolha o estoque do lote em questão.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.