• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Revolta Pastora destrói imagens santas e vídeo repercute nas redes sociais Enquanto as estátuas são destruídas, obreiros, como são conhecidos os membros da igreja, fazem uma oração

Por: Correio Braziliense

Publicado em: 11/01/2017 17:34 Atualizado em: 11/01/2017 17:38


Um vídeo de um ritual de uma igreja evangélica de Botucatu, no interior de São Paulo, causou repercussão e gerou polêmica nas redes sociais na terça-feira (10/1). As imagens mostram uma mulher, que seria uma pastora de uma das igrejas da cidade, quebrando a marretadas imagens de Nossa Senhora Aparecida.

Enquanto as estátuas são destruídas, obreiros, como são conhecidos os membros da igreja, fazem uma oração. "Oh, glória. Não aceito outro Deus. Aleluia, Jesus. Teu nome seja glorificado, Senhor. Abençoa, Senhor, meu Pai, que foi feita pelas mãos do inimigo. Seu nome será honrado e glorificado. Está quebrada, em nome de Jesus", dizem os obreiros.

Em nota, o Conselho Municipal de Pastores de Botucatu repudiu o ato, disse não apoiar uma "prática de intolerância religiosa" e pediu perdão aos "irmãos e irmãs católicos que se sentiram ofendidos com o vídeo de uma prática isolada".

Leia a nota oficial na íntegra:

“Venho por meio desta nota afirmar que o Conselho de Pastores de Botucatu não esteve envolvido e nem apóia uma prática de intolerância religiosa. Fazendo dessa nota um pedido de perdão aos nossos irmãos e amigos católicos que se sentiram ofendidos com o vídeo de uma prática isolada que está circulando nas redes sociais. Seguimos em pregar as boas novas de Jesus Cristo, o Salvador, de acordo com as sagradas escrituras preservando, acima de tudo, o amor e respeito ao próximo. Sem mais, missionário Paulo Cruz, secretário do Conselho de Pastores de Botucatu”.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.