• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Rebelião » Justiça do PR ainda negocia fim de rebelião em Cascavel

Agência Estado

Publicação: 25/08/2014 11:34 Atualização: 25/08/2014 13:33

Presos da Penitenciária Estadual de Cascavel fazem rebelião com reféns. Foto: Fabio Conterno/Agência de Notícias Gazeta do Povo
Presos da Penitenciária Estadual de Cascavel fazem rebelião com reféns. Foto: Fabio Conterno/Agência de Notícias Gazeta do Povo

A rebelião no Presídio Estadual de Cascavel, no Oeste do Paraná, que já deixou quatro mortos - sendo dois decapitados - e que dura 30 horas, deve continuar. Desde as oito horas desta segunda-feira, 25, um grupo da Polícia Militar do Paraná, acompanhado do diretor-geral do Departamento de Execução Penal (Depen), Cezinando Paredes, tenta negociar com os líderes o final do motim. Também estão envolvidos na negociação representantes da Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania (Seju) e da Ordem dos Advogados do Brasil.

Segundo a assessoria do governo do Estado, não há previsão para o fim do movimento. A expectativa é de que outros presos não tenham sido assassinados, mas os números ó serão divulgados após o fim da crise. Os corpos dos mortos continuam no interior do presídio.

A rebelião abrange 800 detentos da PEC, responsáveis também por manter dois agentes penitenciários como reféns. Apesar de não existir uma pauta específica para o fim do motim, os presos já declararam que querem o final das agressões dentro da cadeia, melhoria na comida e fim dos abusos nas revistas durante os períodos de visitas.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.