• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Seca » Há 26 dias sem chuva, o brasiliense sente os rigores da estiagem

Manoela Alcântara - Correio Braziliense

Publicação: 23/08/2014 14:38 Atualização:

Os brasilienses viram os últimos pingos de chuva caírem na cidade há 26 dias e começam a enfrentar o período mais seco na região até o momento. Os índices de umidade, que já estão baixos, podem ficar ainda menores, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Em agosto, a previsão é de que o índice de umidade relativa do ar varie entre 20% e 25%. O mais baixo índice do mês foi de 19%, no último dia 8. Os incômodos provocados pelos níveis inferiores a 60%, considerados ideais pela Organização Mundial da Saúde (OMS), vão desde lábios e olhos ressecados até doenças respiratórias, como falta de ar, e viroses, que provocam diarreia de vômito.

Os prontos-socorros estão cheios, mas a Secretaria de Saúde não contabilizou o aumento do número de atendimentos no período associados à estiagem. Além da seca, as altas temperaturas agravam o incômodo dos moradores de Brasília. Enquanto a temperatura mais alta de julho foi de 27,6ºC, neste mês, a máxima atingiu 29ºC. Ontem, a hora mais quente do dia registrou 27,2º C, e a umidade foi de 26%. Aguardando para ser atendida na fila do Hospital Regional da Asa Norte (HRAN), a estudante Rafaella Cristine Araújo, 20 anos, relatava sofrer por muitos dos sintomas provocados pelo tempo de uma só vez. “Estou com sinusite, tosse seca, dor no peito, lábios cortados e a conjuntivite que tratava há dois meses começou a voltar. É o pacote completo”, lamenta.

De acordo com o professor da Universidade de Brasília (UnB) e médico do serviço de pneumologia do Hospital Universitário de Brasília (HUB) Ricardo Martins, esta é a época de maior comprometimento da pele e das mucosas. “Existe uma chance maior de contrair infecções respiratórias, ter conjuntivite. As pessoas alérgicas sofrem muito”, enfatiza. Ele ressalta que a melhor maneira de reduzir os efeitos da seca é mudar o comportamento.

A recomendação é aumentar o consumo de água, líquidos, sucos de frutas naturais. “É preciso consumir, pelo menos, algo em torno de 2 ou 3 litros de água por dia. É interessante tomar um copo simples a cada hora”, lembra. Umidificar a casa também é importante. As toalhas molhadas, baldes com água são válidos. Se for possível ligar um umidificador, o ambiente ficará ainda mais agradável. As atividades físicas sob o sol devem ser evitadas entre as 9h e as 16h. “São os horários mais intensos. Adotar esses comportamentos ajuda a evitar as doenças”, enfatiza.
Tags: brasilia seca

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.