• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Corte de gastos » Diretor e alunos querem discutir transferência do HU

Agência Estado

Publicação: 22/08/2014 21:24 Atualização:

A diretoria e os alunos do Hospital Universitário (HU) da Universidade de São Paulo (USP) foram pegos de surpresa com a proposta feita pelo reitor da instituição, Marco Antonio Zago, de transferir o hospital para a Secretaria de Saúde, como uma das medidas para cortar gastos e diminuir a crise que assola a universidade.

Nesta sexta-feira, 22, pela manhã, os alunos fizeram uma assembleia que contou com a presença de cerca de 450 pessoas e decidiram pedir tempo para discutir a medida. Na reunião, também ficou decidida a paralisação das atividades na segunda-feira (25) e terça-feira (26), quando está marcada a reunião do Conselho Universitário que vai discutir a desvinculação do hospital.

De acordo com o diretor médico do HU-USP, José Pinhata, o tema não foi debatido com a diretoria do hospital. "Fiquei sabendo da desvinculação pela imprensa. Agora, terá reunião do Conselho Universitário e pedimos que eles permitam que haja tempo para discussão sobre o tema", afirmou.

Pinhata ressaltou que a diretoria não é contra a desvinculação do hospital da USP, mas pede para conhecer as propostas. "Pode ser boa ou ruim, dependendo dos moldes que for feita. Queremos conhecer o que será feito para debater", disse.

O diretor do HU-USP defende ainda que a desvinculação do hospital "irá despatrimoniar parte da USP". Com isso, ele acredita que o hospital vá perder a autonomia na diretriz de ensino. "Será impossível manter excelência em ensino após troca de equipes a preços de funcionários SUS", argumentou.

O HU abriga hoje 2,5 mil alunos e possui 1,7 mil funcionários, dos quais 280 são médicos. Por mês, o hospital faz cerca de 12 mil consultas no ambulatório e 400 cirurgias. No ano passado, foram 13 mil internações e 283 mil atendimentos de emergência.

Cerca de 8% do orçamento da USP é destinado ao hospital, que recebe R$ 350 milhões por ano. “Desse montante, 80% é para folha de pagamento, que vai continuar sendo pago pela universidade mesmo com a desvinculação, já que os funcionários são da universidade”, explicou o diretor médico do HU-USP.

Alunos

De acordo com o presidente do Centro Acadêmico de Medicina da USP, Murilo Germano, que é estudante do 3º ano de Medicina, os alunos são contrários à maneira como o processo de desvinculação do hospital está sendo conduzido pela universidade. "Queremos adiar essa decisão no conselho universitário para poder discuti-la", disse.

A residente da Faculdade de Medicina da USP, Raquel Santos Ferreira, de 30 anos, teme que a desvinculação do hospital possa afetar o ensino. "A USP depende do HU para o ensino. A médica que sou teve muita contribuição do HU. Não vemos como melhorar o ensino com essa desvinculação".

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.