• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Minas Gerais » Polícia não aponta culpados para afogamento de menino em piscina de pousada O delegado considerou a morte um acidente, baseado nos laudos de perícia e não vai indiciar culpados

Luana Cruz -

Publicação: 05/08/2014 09:51 Atualização:

A Polícia Civil encerrou o inquérito sobre o afogamento do menino Carlos Ferreira Ravick Santos, 4 anos, que morreu no dia 12 de junho na piscina de uma pousada em São Sebastião das Águas Claras, distrito conhecido como Macacos, em Nova Lima, na Grande BH. O delegado Osvaldo Wiermann Júnior, da 3ª Delegacia de Nova Lima, considerou o caso um acidente, baseado nos laudos de perícia e não vai indiciar culpados.

Familiares do garoto disseram à época que ele tropeçou e caiu na piscina. Segundo a perícia, Carlos Ferreira morreu por asfixia, sem qualquer outra lesão. O inquérito será enviado à Justiça ainda esta semana.

No dia do acidente, o menino foi encontrado pelos bombeiros fora da piscina e inconsciente. Os socorristas tentaram reanimar o garoto, mas ele já estava sem vida. Diferente desse caso, a Polícia Civil indiciou por homicídio culposo (sem intenção de matar) os pais de Theo Franco Vasconcelos, de 3 anos, que morreu afogado em 2 de junho, no Condomínio Jardim Nápoles, no Bairro Cabral, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Os réus respondem o processo em liberdade. 

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.