• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Brasília » Com 40 casos por dia, Copa bate recorde de flagrantes da lei seca

Correio Braziliense

Publicação: 21/07/2014 14:05 Atualização:

Alguns brasilienses terão más recordações da Copa do Mundo, além das goleadas sofridas pelo Brasil para Alemanha e Holanda. Quem embalou na festa, dirigiu alcoolizado e caiu na fiscalização protagonizou um recorde histórico. Nunca se fizeram tantos flagrantes de alcoolemia ao volante na capital como durante o Mundial de futebol deste ano. Dados obtidos com exclusividade pelo Correio revelam que houve uma média diária de 40 casos. Nem mesmo no auge da lei seca, em 2010, se viu um número tão alto de autuações. Naquele ano, 10.002 pessoas foram punidas, o que representa cerca de 27 por dia.

Entre 12 de junho e 13 de julho últimos, 1.222 motoristas acabaram flagrados por pegar o volante após o consumo de bebida alcoólica. Eles vão responder a processo administrativo, serão proibidos de pegar o volante por um ano e só estarão aptos a dirigir novamente após passarem por curso de reciclagem na escolinha pública de trânsito do Detran. Se nesse período forem flagrados na direção, terão a carteira suspensa por dois anos e, após esse tempo, terão que passar por todo o processo para se habilitar — desde o exame clínico até aulas práticas de volante.

Dos 1.222 alcoolizados durante a Copa, 175 foram detidos e tiveram que pagar fiança para escapar das grades. Além das punições administrativas listadas acima, eles vão responder na Justiça pelo crime de embriaguez ao volante. Se forem réus primários, conseguirão o benefício da suspensão condicional do processo, desde que cumpram exigências impostas pelo juiz. Elas podem ser a proibição de viajar sem autorização judicial, prestação de serviço à comunidade, entre outras.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.