• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Ameaça » Policiamento é reforçado na Praça da Liberdade por causa de ameaça de protestos Aproximadamente 20 viaturas e dois ônibus com militares estão posicionados nos quatro cantos da praça.

Estado de Minas

Publicação: 13/07/2014 18:58 Atualização:

A Polícia Militar (PM) reforçou o policiamento na noite deste domingo na Praça da Liberdade, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte, por causa da ameaça de um protesto marcada pelas redes sociais. O ato estava marcado para começar às 18h, porém, até a publicação desta reportagem, nenhum manifestante estava no local.

Aproximadamente 20 viaturas e dois ônibus com militares estão posicionados nos quatro cantos da praça. A PM deve utilizar a mesma estratégia usada nos outros protestos na capital, onde os manifestantes foram cercados para evitar quebradeiras, como as que aconteceu no início do Mundial. “Será encarada como qualquer outra manifestação desde que eles atendam o que a própria lei determina, que é o ato sem violência. A PM vai agir caso haja depredações”, explicou o tenente-coronel Alberto Luiz, chefe da comunicação da corporação.

O número de policias militares envolvidos na operação não foi informado. “Eu tenho a ordem para continuar, desde o início da Copa, sem divulgar o número de militares em cada região da cidade para não atrapalhar na estratégia. O que posso falar é que temos 13 mil homens e mulheres para serem remanejados”, afirma o tenente-coronel.

O protesto foi marcado pelo aplicativo de troca de mensagens WhatsApp. Um vídeo começou a circular pela rede social depois da derrota vexatória do Brasil contra a Alemanha na semifinal da Copa do Mundo. Nas imagens, vários torcedores aparecem com cartazes enquanto o homem narra um texto com críticas ao país. No final, ele afirma que o ato é contra a corrupção, manipulação e o sistema.

Além de Belo Horizonte, o protesto foi convocado, também, para São Paulo, Brasília, e o Rio de Janeiro. Na capital carioca, palco da grande final entre Alemanha e Argentina, a manifestação terminou em confusão. Policiais militares dispersaram com uso de bombas de gás e de efeito moral o protesto que acontecia na Praça Saens Peña. Os manifestantes pretendiam seguir em direção ao Estádio Maracanã, mas foram impedidos por um forte esquema de segurança. Os policiais contaram com auxílio de homens da Força Nacional e bloquearam todas as ruas no entorno da praça, para impedir que os manifestantes se desloquem. Pelo menos cinco pessoas foram detidas e dezenas foram agredidas com golpes de cassetetes e pontapés.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.