• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Passeata » Após confronto, metroviários caminham em direção à Secretaria de Segurança

Agência Brasil

Publicação: 09/06/2014 08:59 Atualização:

Segundo os metroviários, depois do confronto com a Tropa de Choque, que lançou bombas de gás e balas de borracha, 13 grevistas ficaram detidos dentro da Estação Ana Rosa. Foto: Oswaldo Corneti/Fotos Púbicas (Oswaldo Corneti/Fotos Públicas)
Segundo os metroviários, depois do confronto com a Tropa de Choque, que lançou bombas de gás e balas de borracha, 13 grevistas ficaram detidos dentro da Estação Ana Rosa. Foto: Oswaldo Corneti/Fotos Púbicas

Metroviários em greve há cinco dias fazem uma passeata neste momento no bairro do Paraíso, na região da Avenida Paulista, após confronto no início da manhã de hoje (9) com a Tropa de Choque da Polícia Militar (PM), em frente à Estação Ana Rosa, do metrô. Eles estão na Rua Vergueiro, no sentido centro, e planejam seguir em passeata até a sede da Secretaria de Segurança Pública, no centro da cidade.

Segundo os metroviários, depois do confronto com a Tropa de Choque, que lançou bombas de gás e balas de borracha, 13 grevistas ficaram detidos dentro da Estação Ana Rosa. Homens da PM fizeram um bloqueio em frente à entrada da estação. Mais cedo, os manifestantes também fizeram barricadas e queimaram lixo em frente à estação.

Os metroviários informaram que a PM permitiu a entrada de dois advogados e que os detidos serão encaminhados ao 26º Distrito Policial.

A greve da categoria foi mantida após decisão em assembleia na tarde de ontem (8), contrariando decisão do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de São Paulo que determinou o fim da greve e multa diária de R$ 500 mil em caso de descumprimento. A paralisação do metrô foi considerada abusiva pelo TRT.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.