• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Sindicato » Empresas faltam à audiência no MPT sobre greve de vigilantes no Rio

Agência Brasil

Publicação: 22/05/2014 20:11 Atualização:

Uma reunião no Ministério Público do Trabalho (MPT), que poderia por fim à greve dos vigilantes, no Rio de Janeiro, acabou frustrada pela ausência do Sindicato das Empresas de Segurança Privada do Rio de Janeiro (Sindesp-RJ). Boa parte dos trabalhadores em vigilância – principalmente seguranças bancários – está paralisada há 28 dias em diversas cidades do estado. A situação faz com que a população não possa fazer operações em dinheiro diretamente nos caixas em muitas agências.

O presidente do Sindesp, Frederico Câmara, explicou que ele não pôde comparecer à audiência no MPT por estar em viagem fora do estado, o que já havia sido comunicado à instituição. Ele disse que amanhã (23) o sindicato patronal dará entrada, no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), com [pedido de] dissídio. Segundo Câmara, o diálogo com a categoria será, a partir de agora, via TRT.

O vice-presidente do Sindicato dos Vigilantes do Município do Rio, Antônio Carlos de Oliveira, lamentou a ausência da entidade patronal. “A saída é a continuidade da greve. Não há outro caminho, no momento. Foi um ato de desrespeito os patrões não comparecerem ao MPT, que tem uma função importantíssima para a sociedade brasileira”, disse Oliveira.

A audiência havia sido convocada pelo MPT para buscar uma saída para a greve da categoria. A procuradora regional do MPT, Deborah Félix, lamentou a ausência dos representantes das empresas, durante reunião marcada para a tarde de hoje (22).

“Não foi possível a conciliação. O sindicato patronal não pôde vir, mas vamos tentar outros caminhos, por meio de um contato com o Tribunal Regional do Trabalho, para ver se reabrimos o diálogo, para superar o impasse”, disse a procuradora.

Os vigilantes recebem um piso de R$ 987, além de um adicional de 30% referente ao risco de vida. Eles reivindicam o recebimento de adicional de 30% de periculosidade, segundo legislação recentemente aprovada, além de reajuste salarial de 10%, tíquete alimentação de R$ 20 e diária para trabalhar em grandes eventos de R$ 180. Segundo o sindicato da categoria, são mais de 35 mil vigilantes no estado.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.