• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Boas-vindas » Igrejas de BH celebram a Copa do Mundo e farão missas especiais para estrangeiros

Gustavo Werneck -

Publicação: 17/05/2014 11:11 Atualização: 17/05/2014 11:14

Diante do altar, o vigário paroquial Flávio Campos afirma que o grande objetivo é acolher os estrangeiros. Foto: Leandro Couri/EM/D.A Press
Diante do altar, o vigário paroquial Flávio Campos afirma que o grande objetivo é acolher os estrangeiros. Foto: Leandro Couri/EM/D.A Press

As bandeiras dos 32 países que vão disputar a Copa do Mundo estavam embaladas até o início da tarde dessa sexta-feira. Por volta das 13h30, quando o pavilhão nacional novinho em folha chegou da fábrica, os padres da Igreja de São José, no Centro da capital, desdobraram cuidadosamente uma por uma e as levaram ao altar, onde despertaram curiosidade entre os fiéis que, na hora do almoço, encontravam calma para rezar. Amanhã, em missa festiva, às 19h, celebrada no templo pelo bispo auxiliar dom João Justino de Medeiros Silva, elas serão hasteadas na escadaria de frente para a Avenida Afonso Pena, abrindo oficialmente a programação da Arquidiocese de Belo Horizonte dedicada à temporada do campeonato de futebol. A fim de receber os estrangeiros, dentro do tema Copa do Mundo Dignidade e Paz, haverá missas celebradas em inglês, espanhol, francês e italiano em várias igrejas da cidade, concertos, apresentação de orquestra, ações sociais e, claro, braços abertos para receber os torcedores.

Entusiasmado com a ideia, o titular da Paróquia São José, padre José do Carmo Zambom, adianta que as celebrações em espanhol serão às quartas e sextas, às 11h, e domingos às 11h30, pois as seleções entrarão em campo no Mineirão sempre à tarde. Além do templo da Avenida Afonso Pena, haverá missas em outros idiomas nas igrejas de Nossa Senhora da Boa Viagem, no Bairro Funcionários, na Região Centro-Sul, de São Francisco de Assis, na Pampulha, e outras em definição quanto a horários.

Ao lado das bandeiras dos países em tamanho oficial, também serão colocadas no adro da igreja, antes da Copa do Mundo, as dos estados-sede dos jogos. “Não podemos deixar o medo tomar conta da nossa cidade. O esporte não é para isso, mas uma forma de união e alegria. A Igreja de São José está em um ponto central e recebe a média diária de 2 mil pessoas. Vamos levantar o astral e dar boas-vindas a quem chegar, de forma ecumênica”, disse o pároco, lembrando-se das manifestações que tomaram conta da cidade no ano passado, na Copa das Confederações. “As bandeiras do Brasil, de Minas e de Belo Horizonte ficarão em destaque”, afirmou.

Segurando a Bandeira do Brasil no altar, o vigário paroquial da São José, padre Flávio Campos, acrescentou que o objetivo maior é acolher os estrangeiros, pois esse gesto faz parte da obra de misericórdia presente na doutrina da Igreja. “Trata-se de uma iniciativa para fortalecer a fraternidade. A Igreja Católica está presente no mundo inteiro e todos que vierem aqui serão bem-vindos e vão se sentir em casa.”

INTEGRAÇÃO

Ao lado dos padres Flávio e Zambom, o colombiano Fabian Prieto Mendez, de 31, assistente administrativo da paróquia, contou que mãe, Maria Esperanza, virá da cidade de Santander para visitar BH. “Não vamos aos jogos no Mineirão, mas torceremos muito contra a Grécia”, disse Fabian. O primeiro jogo na capital mineira, em 14 de junho, será entre Colômbia e o time europeu. “O mundo é um só, no gramado é que ocorrerá a disputa. A Copa é ótima oportunidade para que caiam as barreiras entre as nações e haja integração cultural. Por isso considero a presença das bandeiras hasteadas nesse período muito interessante.”

As bandeiras, que foram adquiridas pela paróquia, chamaram a atenção do aposentado Romeu Vidigal, morador do Centro, que aproveitou para rezar diante da imagem de Nossa Senhora. “Achei ótimo, uma proposta luminosa, bonita de se ver.” Para a comerciante Maria de Fátima Soares, moradora de Ribeirão das Neves, na Grande BH, o acolhimento é palavra-chave nesses tempos: “Vem muita gente de fora e é bom saudá-los com alegria.”

Espaço para debate social

Um olho nos jogos, outro nos problemas sociais e os dois focados no ser humano. Durante a Copa, a Arquidiocese de Belo Horizonte vai promover seminários e campanhas educativas para ajudar no combate ao tráfico humano, como forma de fortalecer a cidadania dos fiéis, em paróquias e comunidades, dentro da Campanha da Fraternidade 2014, cujo tema é Fraternidade e tráfico humano. Estão previstas ainda ações para proteger os jovens e adolescentes em situação de vulnerabilidade social e a população de rua.

No próximo dia 23, a Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB) Regional Minas Gerais, promoverá um ato público na Praça da Rodoviária, no Centro de Belo Horizonte, contra o tráfico de pessoas. No momento em que o Brasil recebe um grande número de turistas, explicam os organizadores, a CRB quer sensibilizar e informar a sociedade civil, sobretudo os grupos mais vulneráveis, sobre o tráfico e riscos do seu crescimento durante a Copa. Nessa proposta de valorizar a vida e fomentar a cultura, está programado outro ato público para 23 de junho, com a mesma temática, no aeroporto internacional de Confins.

Em parceria com outras instituições que representam esse setor, a Pastoral de Rua da arquidiocese vai realizar plantões de atendimento e acolhimento aos que procuram abrigo. Em 9 de junho, será realizado o Fórum da População em Situação de Rua, na Praça da Rodoviária, no Centro da cidade. Enquanto isso, a juventude católica também prepara iniciativas. De 6 a 13 de julho, no Centro da Capital, serão promovidas atividades artísticas e de evangelização em áreas estratégicas da cidade, como nos lugares onde se concentram pessoas para o consumo de drogas. Para moradores de rua, serão oferecidos serviços como corte de cabelo e alimentação.

Nos dias 11, 12 e 13 de julho, jovens farão um ato público pela paz nas praças Sete, Rui Barbosa (Estação) e Liberdade, na Região Centro-Sul. Atividades como dança, mímica e teatro também estão previstas.

MÚSICA, DIVINA MÚSICA


Igreja de São José, no Centro
Dia 24/6, às 19h
Grupo musical – Gruppetto Santa Luzia, na Paróquia de São José

Dia 8/7, às 19h – Meninos Cantores de Santa Luzia – Coral Mater Ecclesiae
Santuário Nossa Senhora da Boa Viagem, no Bairro Funcionários
Dia 14/6, às 20h – Coral Franpax
Dia 21/6, às 20h – Cetep Vozes
Dia 28/6, às 20h –Grupo Musical Kássio Alves (Berith)

Igreja de Nossa Senhora de Lourdes, no Bairro de Lourdes
Dia 17/6, às 19h –Grupo Musical Kássio Alves (Classic)

Tags:

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.