• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Crime » Tio de escrivã morta em delegacia manda recado: lá em Pedrinhas ele vai ver A mulher foi esfaqueada no momento em que colhia o depoimento de Francisco Almeida Costa, suspeito de um suposto abuso sexual cometido contra a própria filha

Publicação: 16/05/2014 15:23 Atualização:

O tio da escrivã Loane Maranhão da Silva Thé, de 31 anos de idade, assassinada a facadas dentro da Delegacia de Polícia de Caxias, nessa quinta-feira (15/5), o advogado piauiense Nazareno Thé, disse, em entrevista a TV Meio Norte, de Teresina, que irá acompanhar as investigações sobre a morte da sobrinha e que lutará para que o criminoso pague.

"Vou acompanhar de perto toda a investigação e vamos atrás da justiça. Lá em Pedrinhas ele vai ter muito tempo pra pensar, pra refletir no que ele fez, lá ele vai ver", disse Nazareno Thé. O advogado, que é irmão do pai de Loane, disse que a sua família está muito abalada e acrescentou que a escrivã era uma pessoa estudiosa, que estava apenas começando a carreira na Polícia.

O crime
A escrivã Loane Maranhão Silva foi esfaqueada no momento em que colhia o depoimento de Francisco Almeida Costa, suspeito de um suposto abuso sexual cometido contra a própria filha.

Uma investigadora, que também estava na delegacia ainda gritou por socorro, enquanto Francisco desferia os golpes. Ao ouvir os gritos da colega, a investigadora entrou na sala e também acabou esfaqueada pelo homem.

A escrivã não resistiu aos ferimentos e morreu em um hospital local. A investigadora recebeu os primeiros socorros e não corre risco de morte. O suspeito foi preso minutos depois, próximo ao Terminal Rodoviário da cidade.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.