• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Obras para a copa » Manifestantes entram em confronto com a PM na ocupação de prédio público no DF

Agência Brasil

Publicação: 15/05/2014 11:47 Atualização:

Manifestantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) do Distrito Federal invadiram a sede da Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) na manhã de hoje (15), em Brasília, como protesto contra as grandes obras construídas para Copa do Mundo no Brasil em prejuízo dos investimentos sociais. Cerca de 200 pessoas entraram no prédio público. Com a entrada da Polícia Militar no local, houve confronto e os manifestantes foram retirados.

O local está cercado, os manifestantes continuam em volta do local e a entrada na Terracap está restrita aos funcionários com identificação. No confronto, houve uso de spray de pimenta e cacetete pela Polícia Militar. Algumas pessoas saíram machucadas e um rapaz sangrava com ferimento na cabeça, porém não houve necessidade de encaminhar ninguém ao hospital.

Segundo a PM, as forças de segurança agiram para evitar a invasão, por isso houve confronto. Com a saída dos manifestantes do prédio, a polícia entrou em contato com a presidência da Terracap, que se disponibilizou a receber uma comissão do MSTS, que ainda não foi formada.

Para o protesto, foram ao local 11 ônibus de várias regiões administrativas do Distrito Federal, a maioria de Brazlândia e Ceilândia. O MTST aderiu à campanha "Copa sem povo: tô na rua de novo", articulada especialmente via redes sociais. O movimento pede políticas públicas contra os despejos e remoções forçadas de ocupações populares, com o acolhimento de famílias carentes; o controle de preços do aluguel no DF; e que a Terracap não venda terrenos públicos para custear gastos com a Copa.

 

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.