• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Torturada e morta » Furto de R$ 27 mil teria motivado linchamento de manicure em SP Inicialmente, a polícia havia divulgado que a motivação do delito seria um furto de biscoitos

Julia Chaib - Correio Braziliense

Publicação: 13/05/2014 10:13 Atualização:

Em mais um caso de “justiçamento”, a manicure Ane Kelly Santos, de 26 anos, foi torturada e morta em Barueri, na Região Metropolitana de São Paulo, por ter supostamente furtado dinheiro da casa do vizinho Jackson Nunes Pereira, de 21 anos, onde ela fazia faxina eventualmente. Desconfiado do crime, o homem a sequestrou e a matou no mês passado, com a ajuda de outras pessoas. Após analisar um vídeo feito pelo celular do suspeito, em que Ane aparece sendo espancada, a polícia prendeu Jackson, a namorada dele, Renata Fonseca da Silva, de 27 anos, e o amigo do casal Valmir Lima de Oliveira, de 27 anos, no último domingo. Inicialmente, a polícia havia divulgado que a motivação do delito seria um furto de biscoitos.

De acordo com o delegado da Divisão de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) de São Paulo, Itajiba Franco, Ane foi registrada como desaparecida em 24 de abril e, na última semana, a polícia teve acesso a um vídeo feito pelo celular de Jackson. As imagens mostram Ane sendo brutalmente torturada em um cativeiro. Segundo Franco, a manicure teve um olho furado, o pé atingido por um tiro, uma das unhas arrancadas por um golpe de martelo e o corpo queimado. O grupo ainda atirou sal nos ferimentos, para que a dor ficasse pior. “Pela manhã, ela foi torturada em um cativeiro. Depois, por volta do meio dia, a levaram para um terreno baldio onde a fizeram entrar em uma cova rasa e a mataram com golpes de enxada”, contou o delegado.

Ao prestar depoimento à polícia, Jackson disse que cometeu o crime porque Ane havia levado R$ 27 mil de sua casa. O homem esperou Ane ir a uma padaria, para oferecer carona e a sequestrar. “Ele disse que estava juntando o dinheiro, conseguido por meio de furtos e fraudes de caça-níqueis, e que o usaria para comprar uma van”, contou o delegado. Os outros dois suspeitos também confessaram participação na morte e no espancamento. Uma quarta pessoa também estaria na cena do crime, mas ainda não foi encontrada. Os três suspeitos estão presos preventivamente e foram indiciados por homicídio, sequestro e ocultação de cadáver.


Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.