• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Minas Gerais » Cliente tenta matar dono de bar após ser impedido de ouvir música Após desentendimento, ele atirou duas vezes contra a vítima, que não foi atingida

Cristiane Silva

Publicação: 13/05/2014 08:42 Atualização:

Um desentendimento entre o cliente de um bar e um comerciante quase termina em morte no início da noite de terça-feira em Esmeraldas, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O suspeito atirou contra a vítima após ser impedido de ouvir música no estabelecimento.

O caso aconteceu por volta das 18h30 em um bar no Bairro Residencial Caio Martins. De acordo com a Polícia Militar (PM), o dono do estabelecimento, que tem 61 anos, disse que um casal entrou no local e pediu para ouvir música na jukebox. Como ele conhece o homem e disse saber que ele costuma causar confusão, não quis atender o pedido.

Logo em seguida, o cliente saiu e voltou com uma arma de fogo. Ele atirou duas vezes, mas a vítima se escondeu atrás do balcão e não foi atingida. Um dos disparos atingiu a máquina de música. A vítima contou, ainda, que o homem saiu novamente e voltou o ameaçando, dizendo que o mataria se a polícia fosse chamada. O cliente acionou a PM, que começou a procura pelo autor dos tiros.

Ele foi localizado durante o rastreamento e tentou fugir, jogando a arma fora, mas foi detido. Segundo a PM, Jhonatan da Silva Simeão, de 22 anos, confessou que tentou matar a vítima por causa do atrito, mas disse que foi agredido com golpes de um pedaço de pau nas costas e nas pernas. O homem apresentava escoriações e foi medicado no Hospital 25 de Maio antes de ser levado para a Delegacia de Plantão de Ribeirão das Neves. A arma usada no crime, um revólver calibre 38, foi apreendido. Duas munições estavam deflagradas.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.