• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Segurança » Rio pede isolamento de traficantes presos para evitar ataques às UPPs

Agência Brasil

Publicação: 30/04/2014 15:08 Atualização: 30/04/2014 15:28

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, e o governador Luiz Fernando Pezão visitam a UPA do Complexo do Alemão, que sofreu um ataque durante uma manifestação na noite de ontem. Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil
O prefeito do Rio, Eduardo Paes, e o governador Luiz Fernando Pezão visitam a UPA do Complexo do Alemão, que sofreu um ataque durante uma manifestação na noite de ontem. Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil
O governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, informou na manhã desta quarta-feira (30) que pediu ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, a transferência de pelo menos seis detentos para um presídio federal de segurança máxima. De acordo com o governador, o objetivo é diminuir a onda de ataques às unidades de Polícia Pacificadora, e dificultar o contato entre traficantes.

“Tem uma lista que eu mandei ao ministro José Eduardo Cardozo ontem a noite [29]. Tem um trâmite dentro da Justiça. A doutora Leila Mariano [presidente do Tribunal de Justiça do Rio] autorizou [a transferência] de um. Hoje pedirei de mais dois [detentos]. Espero que a lista seja toda deferida, para que possamos tirar os marginais daqui”, disse.

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, disse acreditar que traficantes estejam se infiltrando nas manifestações contra o governo e promovendo atos de vandalismo, como  na ocasião do ataque à Unidade de Pronto-Atendimento do Complexo do Alemão, na última segunda-feira (28). Mais uma vez a gente teve um afrontamento travestido de movimento popular. O que se enfrenta na cidade é [a ação de] um grupo de delinquentes que não está satisfeito com as políticas de segurança”, concluiu.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.