• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Investigação » Seis PMs admitem ter atirado em ação que terminou com morte de dançarino Armamentos usados já foram periciados, mas não foram devolvidos à UPP

Publicação: 27/04/2014 12:07 Atualização:

Seis policiais militares dos nove que participaram do tiroteio no Morro Pavão-Pavãozinho, que resultou na morte do dançarino Douglas Rafael da Silva Pereira, o DG, 26 anos, admitiram ter atirado. Agora, a investigação tenta descobrir se partiu da arma de algum desses policiais o tiro que atingiu o rapaz.

Os armamentos já passaram por uma primeira perícia, mas ainda não foram devolvidas à UPP do Pavão-Pavãozinho. Maria de Fátima da Silva, mãe de DG, disse nesse sábado que, na sexta-feira, esteve em São Paulo para se encontrar com um grupo de especialistas em medicina forense dos Estados Unidos. Maria de Fátima entregou aos profissionais estrangeiros o material que teria sido encontrado com o corpo.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.