• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Enchente » Mesmo com redução do nível do Rio Madeira, tráfego na BR-364 continua limitado

Agência Brasil

Publicação: 16/04/2014 15:05 Atualização:

O tráfego na BR-364 continua interditado para veículos de pequeno porte, apenas caminhões conseguem percorrer o trajeto entre Porto Velho (RO) e Rio Branco (AC), com prioridade para aqueles carregados com itens de primeira necessidade. O nível do Rio Madeira, em Rondônia, continua baixando após a cheia recorde que atingiu o estado nos últimos dois meses, inundando 42,5% do território. Com a enchente, o Acre ficou isolado, por causa do alagamento da BR-364, única ligação do estado com o resto do Brasil.

A cota do rio, em Porto Velho, que chegou a 19,70 metros, está hoje (16) em 18,77 metros. Equipes do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), da Polícia Rodoviária Federal e autoridades dos dois estados permanecem nos locais de alagamento monitorando o tráfego e fazendo reparos emergenciais.

O governo de Rondônia calcula que a reconstrução no pós-enchente pode custar R$ 5 bilhões. A informação foi divulgada em reunião com representantes dos dois estados, de órgãos envolvidos no enfrentamento da maior cheia da bacia do Madeira, que desabrigou 7.754 famílias, sendo 5.584 só em Rondônia.

Segundo a assessoria, com informações do Sistema de Prevenção da Amazônia (Sipam), estatisticamente, há possibilidade de ocorrer outro desastre semelhante na região só em 220 anos. A probabilidade de uma nova cheia na mesma proporção para o ano que vem é 0,45%. O Sipam sugeriu ainda que sejam feitas ações conjuntas com a Bolívia para aperfeiçoar a prevenção de desastres.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.