• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Rio de Janeiro » Polícia Civil faz reconstituição da morte de mulher arrastada

Agência Brasil

Publicação: 03/04/2014 10:56 Atualização: 03/04/2014 11:22

Foto: Arquivo Pessoal
Foto: Arquivo Pessoal

Policiais da 29ª Delegacia Policial (Madureira) do Rio de Janeiro fazem, na manhã desta quinta-feira (3), a reconstituição da morte da auxiliar de serviços gerais Claudia da Silva Ferreira, que morreu em consequência de bala perdida durante ação de policiais do 9º Batalhão (Rocha Miranda), no Morro da Congonha, na zona norte da cidade.

Ferida, Claudia Ferreira teve seu corpo arrastado por cerca de 300 metros enquanto era levada no porta-malas de um camburão para o Hospital Estadual Carlos Chagas, onde já chegou morta em consequência, segundo laudo do Instituto Médico Legal (IML), de um dos dois tiros que a atingiram.

Neste momento, policiais e parentes de Claudia, que participarão da reconstituição, aguardam na Delegacia de Madureira. Policiais da Coordenadoria Operações de Recursos Especiais (Core) fazem uma varredura preventiva no Morro da Congonha.

Além dos parentes da vítima, foram convocadas a integrar a reconstituição nove policiais que participaram da ação no Morro da Congonha e que resultou na morte da auxiliar de serviços gerais, entre eles o tenente Rodrigo Medeiros Boa Ventura e o sargento Zaqueu de Jesus Pereira Bueno, presos por decisão da Justiça. Eles participaram diretamente da ação.

Participarão, ainda, o sargento Alex Sandro Silva Alves, e os sub-tenentes Adir Serrano Machado e Rodney Miguel Archanjo, todos da PM. Os três conduziam a viatura em que Claudia Ferreira foi arrastada. Eles chegaram a ser presos, mas foram depois liberados.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.