• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Rio de Janeiro » Justiça mantém preso acusado do caso Amarildo Ministério Público consegue novo mandado de prisão para acusado de torturar e sumir com o corpo do pedreiro na Unidade de Polícia Pacificadora da Rocinha

Agência Brasil

Publicação: 22/03/2014 11:16 Atualização:

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro obteve, na Justiça, novo mandado de prisão para o sargento Lourival Moreira da Silva, um dos acusados no caso da tortura e desaparecimento do pedreiro Amarildo de Souza, na Unidade Polícia Pacificadora (UPP) da Rocinha, na zona sul do Rio.

O Ministério Público impetrou mandado de segurança e obteve liminar para suspender a decisão da 35ª Vara Criminal da Capital, que havia revogado a prisão do militar.

No mandado, o Gaeco argumenta que Lourival, que responde por crime de tortura seguida de morte e outros crimes, poderia causar embaraços à instrução criminal, por meio de coação de testemunhas ou fraude processual, além de o réu estar em situação similar à de outro acusado, que teve pedido de habeas corpus recentemente negado.

A juíza Daniella Alvarez Prado havia deferido, no dia 13 deste mês, o pedido de liberdade provisória feito pela defesa de Lourival, que foi solto nesta semana.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.