• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Manifestação » Policiais federais pedem reajuste e definição de atribuições da categoria

Agência Brasil

Publicação: 12/03/2014 20:13 Atualização: 12/03/2014 20:19

Em manifestação na Esplanada dos Ministérios, policiais federais reclamaram hoje (12) que estão há sete anos sem reajuste salarial e defenderam a elaboração de um projeto de lei que defina as atribuições do policial federal. Segundo o Sindicato dos Policiais Federais do Distrito Federal (Sindipol-DF), essa definição ainda não existe.

O Sindipol-DF calculou o número de manifestantes entre 600 e 700 e a Polícia Militar, em 600. Eles saíram do Ministério da Justiça em direção ao Palácio do Planalto com seis elefantes brancos infláveis.

"A segurança pública, como um todo, não funciona, tem baixa efetividade. O índice de efetividade [de investigação] no crime de homicídio, por exemplo, é 8%. Isso significa que, de cada 100 assassinos no Brasil, 92 estão soltos. Os elefantes representam isso, a morosidade da segurança pública brasileira", explicou o presidente do Sindipol-DF, Flávio Werneck.

Os policiais marcharam pela Esplanada às 16h, causando retenção no trânsito do local. Já na Praça dos Três Poderes, eles decidiram ficar em vigília por aproximadamente uma hora, com o objetivo de abrir negociações com o governo. "A nossa proposta é recomposição inflacionária em qualquer índice que o governo quiser. E que venha também com a definição das atribuições", completou Werneck.

O presidente do Sindipol-DF disse que recebeu um primeiro contato do gabinete da Presidência da República ontem (11) para abertura de negociações. Foi prometida, segundo ele, uma posição do governo para a próxima segunda-feira (17), quando será apresentada uma data para apresentação de contraproposta.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.