• (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Com enredo sobre Pernambuco, Mocidade Independente desfilou na avenida Homenageando o carnavalesco pernambucano Fernando Pinto, escola busca recuperar jejum de títulos desde 1996

Julia Chaib - Correio Braziliense

Publicação: 04/03/2014 08:31 Atualização: 04/03/2014 11:50

A atriz Mariana Rios é um dos destaques da escola (AFP Photo/Yasuyoshi Chiba)
A atriz Mariana Rios é um dos destaques da escola

A Mocidade Independente de Padre Miguel dá início a segunda noite de desfiles na Sapucaí, onde vai prestar homenagem ao carnavalesco pernambucano Fernando Pinto, que morreu em 1987. Com o samba-enredo "Pernambucópolis", a escola conta com 3,8 mil componentes, 39 alas e sete carros alegóricos. A agremiação começa o desfile mostrando a chegada de Fernando em um carro futurista para visitar Pernambuco, representado como um disco-voador de led. Depois, a escola segue ressaltando o folclore e a musicalidade da terra conhecida por ser uma das maiores representantes do carnaval brasileiro. A festa em Olinda e o Galo da Madugada, por exemplo, serão retratados na avenida.

Autor de dois enredos “ - Ziriguidum 2001, um carnaval nas estrelas” e “Tupinicópolis”, Fernando Pinto era considerado ousado e futurista.

Com o enredo desta noite, a Mocidade tenta recuperar um jejum de 18 anos sem ganhar o titulo de melhor escola do grupo especial. A agremiação também desfila na avenida após passar por uma recente crise. O ex-presidente da Mocidade, Paulo Vianna, renunciou ao cargo no último dia 5, depois de ser denunciado por falsidade ideológica. Ele estava afastado do cargo desde 27 de janeiro, mas a troca na presidência resultou no atraso de alguns pagamentos, acertados em cima da hora.

Polêmica
O desfile da Mocidade Independente também foi rodeado de polêmica. Os diretores de harmonia e evolução da escola entraram na avenida com camisas do Sport e com o número 87, uma lembrança ao título brasileiro daquele ano, que envolve uma polêmica com o Flamengo. A polêmica tomou as redes sociais e relembrou o caso.

O Flamengo busca ser considerado oficiamente campeão brasileiro de 1987. Por sua vez, o time pernambucano quer ser considerado o único campeão daquele ano, conforme decisão da Justiça em 1994, diante de ação do Sport iniciada ainda em 1988, e que teve sentença final, transitada em julgado (que não pode ser modificada) em 2001, depois de inúmeros recursos. O caso foi parar novamente dos tribunais porque a CBF publicou uma resolução em 2011 reconhecendo o Flamengo como também campeão. Depois disso, a equipe pernambucana entrou com uma ação no Tribunal Regional Federal de Pernambuco pedindo que a decisão da CBF fosse invalidada, o que aconteceu.



Patrocínio
O governo de Pernambuco deve repassar R$ 300 mil à Mocidade. A Secretaria de Cultura de Pernambuco comunicou que a escola fez um pedido formal de apoio ao Governo do Estado, por meio da Empetur. No entanto, a solicitação ainda não foi deferida porque aguarda análise da documentação da empresa que representa a agremiação. O governo de Pernambuco informou que a análise documental é um processo padrão que acontece em todos os procedimentos de contratação artística.

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: andré luna
ñ existe polêmica nenhuma sobre 1987. o sport ñ deve nada ao flamengo,nunca existiu nem existe polêmica nenhuma. o flamengo descumpriu o regulamento e arcou com as consequências doq previa o próprio regulamento em q todos os envolvidos eram cientes.se o flamengo ainda ñ esclareceu sua torcida azar | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.