• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Carnaval nas cidades históricas de Minas Gerais leva alegria a foliões Blocos de Belo Horizonte e do Rio de Janeiro espalham simpatia pelas ruas de Mariana e Ouro Preto

Portal Uai - Associados

Publicação: 03/03/2014 12:34 Atualização:

Carnaval de São João del Rei. Tiago Morandi/Prefeitura de São João del Rei. (Tiago Morandi/Prefeitura de São João del Rei)
Carnaval de São João del Rei. Tiago Morandi/Prefeitura de São João del Rei.


Diversos blocos levaram alegria à multidão de foliões em Ouro Preto e Mariana, na Região Central de Minas, mas foram dois grupos que chamaram bastante a atenção de moradores e turistas. Trata-se de uma espécie de blocos dos solteiros. Esbanjando sorrisos e simpatia, um grupo de Belo Horizonte e outro do Rio de Janeiro encomendaram camisetas com frases criativas para mostrar que a tristeza deve ser substituída pela felicidade.

Foi o que fez a estudante Bárbara Bocos, de 25 anos. “Namorei 10 anos com um rapaz e terminamos há poucos dias. Daí meu irmão teve a ideia de encomendar as camisetas com a frase ‘Me beija, que eu tô solteira’. Muita gente está nos observando”, conta a jovem, que chegou a Ouro Preto na manhã de ontem e planeja retornar a Belo Horizonte antes do meio-dia de hoje. O irmão dela, Caio, de 20, se diverte com os uniformes: “Estão fazendo sucesso”.

Os dois foram à cidade dos inconfidentes na companhia da amiga Brenda Dutra, de 19, e da prima Rafaela, de 18. Os quatro dançaram, pularam e cantaram antigas marchinhas carnavalescas e sucessos atuais. Mesmo entre os casarões tricentenários de Ouro Preto se lembraram do sucesso do carnaval da capital. “Está bombando, mas Ouro Preto é Ouro Preto”, justificou Rafaela.

Perto deles, outro grupo chamou a atenção das pessoas. Quatro cariocas – a técnica em segurança do trabalho Liliane Fonseca, de 28, a gestora de recursos humanos Alessandra Siqueira, de 33, a auxiliar de departamento pessoal Bianca Nina, de 22, e a estagiária de engenharia Joana Angélica, de 21 – pularam a folia com camisetas brancas com a seguinte frase: “Se eu não lembro, não fiz”.

“Houve um rapaz que, depois de ler o que está escrito em nossas camisas, nos disse: ‘Então vamos fazer juntos’. Achei engraçado”, contou Alessandra. “As camisas chamaram a atenção. E superaram as expectativas”, acrescentou, com grande sorriso, Liliane. O grupo bolou a frase depois de pesquisar algumas frases curiosas na internet, como ressaltou Joana. Cansadas da folia na Marquês de Sapucaí, decidiram curtir o carnaval no interior de Minas.

PENICO
A escolha das quatro amigas foi unânime: Ouro Preto. “É um carnaval muito bom”, garantiu Bianca, pouco antes da passagem do bloco Bandalheira, que neste carnaval completou 42 anos de desfile pelas ladeiras históricas. Os integrantes do grupo têm como principais acessórios um penico na cabeça e um rolo de papel higiênico na cintura.

Os blocos também fizeram a festa na cidade vizinha de Mariana. Foliões transformaram as ruas no entorno da Praça do Jardim, onde o coreto foi todo enfeitado em alusão à folia, numa grande festa. Hoje, moradores e turistas poderão curtir na cidade os “bloconecos anões gigantes”. Trata-se de grandes bonecos que puxam uma multidão ao som de marchinhas, tangos e boleros.

O responsável pela festa é o artista argentino Catin Nardi. A trupe irá unir dança e música com o teatro. Na prática, pares de bonecos se apresentam no meio da multidão chamando as pessoas para o centro de uma roda.

POMPÉU
Galã e sozinho

Caio Castro levantou suspiros no carnaval de Pompéu. Um dos atores mais adorados da nova geração por sua beleza, ele atendeu o convite do cantor Thiaguinho, que puxou e animou o bloco Reduto. Para a alegria das fãs, ele estava sozinho e desimpedido, sem a companhia da atriz Maria Casadevall, com quem estaria tendo um affair. A moça foi pela primeira vez para o carnaval soteropolitano e arrasou de top preto que mostrava a barriga.

DE GRAÇA
Entrada liberada e sem catracas

A estratégia da Prefeitura de Sabará de cobrar entrada de R$ 20 para o folião participar do carnaval no Centro Histórico não funcionou. A ideia era que o morador da cidade, devidamente cadastrado, não pagasse nada, sendo que a quantia seria cobrada dos foliões que não moram na cidade. Portais para cobrança e acesso dos foliões foram montados, mas as catracas nem chegaram a operar. Melhor para a folia da cidade, que recebeu milhares de pessoas que desciam e subiam suas ladeiras e de graça.

SÃO JOÃO DEL-REI
Blocos fazem a festa dos foliões

No primeiro dia de desfiles na cidade, a Escola Mirim Unidos da Lata e os grêmios recreativos Girassol (foto), a Mocidade do Bonfim e o São Geraldo fizeram a festa dos foliões. Hoje, a alegria fica por conta dos blocos Birinight e Vamos a La Playa, e amanhã é a vez do Arroz com Vinagreti, Bloco do Pantanal, Bloco da Caixinha, Cura Ressaca e bloco Cachaça acumulada. Na tarde sábado, o bloco Unidos da Cambalhota levou alegria às ruas da cidade. Desde 2001, o bloco é sucesso. Segundo João Paulo, um dos idealizadores, o bloco foi criado por alguns amigos, que devido à euforia do carnaval, davam cambalhotas pelas ruas históricas de São João.

BARÃO DO GUAICUÍ
Calmaria para quem quer paz

Distrito de Gouvêa, próximo à Diamantina, Barão de Guaicuí costuma receber centenas de turistas que preferem a calmaria durante o carnaval. A família da relações-públicas Núbia Maruqes, de 27 anos, mora em Belo Horizonte, mas tem uma casa no vilarejo. Este ano ela hospedou quatro amigos, sendo dois deles do Rio de Janeiro. “Esse lugar é muito gostoso, tem um ambiente de interior e a natureza é bem preservada”, diz Núbia. O povoado tem cachoeira e algumas trilhas.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.