• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Disputa etílica » Desafio alcoólico vira mania em Minas e divide opiniões Em vídeos postados na rede social Facebook, alunos da Ufop aparecem virando de uma só vez meio litro de cerveja

Valquiria Lopes -

Publicação: 19/02/2014 07:52 Atualização: 19/02/2014 10:17

Disputa etílica conhecida como neknomination surgiu na Austrália e se espalhou pelo mundo. Foto: Daniel Ferreira/CB/D.A Press/Arquivo
Disputa etílica conhecida como neknomination surgiu na Austrália e se espalhou pelo mundo. Foto: Daniel Ferreira/CB/D.A Press/Arquivo

Universitários da cidade mineira que já foi classificada como tendo os estudantes que mais bebem entre as universidades públicas do Brasil estão agora às voltas com um desafio alcoólico. Em vídeos postados na rede social Facebook, alunos da Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop) aparecem virando de uma só vez meio litro de cerveja e desafiando amigos a fazer o mesmo. A disputa etílica conhecida como neknomination surgiu na Austrália e se espalhou pelo mundo. Envolve uma pessoa disposta a tomar grande quantidade de álcool, que nomeia amigos para igualar o “feito”.

No caso de Ouro Preto, pelo menos duas repúblicas tiveram seus nomes identificados por faixas colocadas atrás dos jovens nos vídeos. Nas postagens, eles agradecem pela indicação que receberam e se esforçam para tomar toda a quantidade de cerveja.

O desafio, no entanto, divide opiniões. Uma das alunas da Ufop gravou um vídeo mostrando sua posição contrária à “gincana”. Ela cobra uma postura mais rigorosa para mudar a imagem dos estudantes em relação às bebidas alcoólicas. “Acho essa corrente ridícula, neste momento, principalmente, de fim de período. Acho que isso não é legal para nossa imagem, que estamos tentado mudar há mais de um ano”, diz a estudante.

“Faço um apelo para que nós não nos esqueçamos do que aconteceu com a gente. Não podemos achar que isso acabou e que podemos voltar à nossa vida normal sem nos lembrar disso”, completa ela, aparentemente referindo-se à morte de dois estudantes atribuídas ao consumo excessivo de álcool, em 2012.

Para o presidente da Associação das Repúblicas Reunidas de Ouro Preto, Otávio Gomide, o movimento não teve grande repercussão entre os alunos. “Estamos em fim de semestre e todos estamos preocupados em estudar e fazer as provas. A vida estudantil está seguindo o fluxo normal”, disse. Em nota, a Ufop informou que desenvolve trabalhos em conjunto com a comunidade acadêmica para conscientizar estudantes sobre o consumo de bebidas alcoólicas e drogas, além de reconhecer que tal consumo é um problema e deve ser tratado em diversas instâncias da sociedade.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.