• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Prevenção » Órgãos ambientais ganham aeronave e caminhão para combater incêndios O helicóptero foi adquirido com recursos do Fundo Estadual de Conservação Ambiental e custou R$ 12 milhões

Agência Brasil

Publicação: 12/02/2014 15:04 Atualização: 13/02/2014 13:44

A secretaria do Estado do Ambiente do Rio de Janeiro entregou nesta quarta-feira (12/2) um helicóptero e um caminhão para abastecimento de aeronaves a Polícia Militar, que vai reforçar o enfrentamento aos incêndios na florestas fluminenses, devido à estiagem causada pela seca que já dura cerca de um mês.

O helicóptero foi adquirido com recursos do Fundo Estadual de Conservação Ambiental e custou R$ 12 milhões. O caminhão foi comprado por R$ 650 mil com verba da Câmara de Compensação Ambiental. O caminhão vai agilizar o combate às chamas em locais isolados, pois os helicópteros não precisarão retornar à base para serem abastecidos.

O coordenador da Coordenadoria de Combate aos Crimes Ambientais, coronel José Padrone, explicou que o helicóptero já está sendo utilizado para conter as chamas no Parque Estadual da Serra da Tiririca, em Niterói.

“Já está lá uma aeronave do Corpo de Bombeiros e vamos reforçar com a nova aeronave agora”, explicou ele. “Quando surge um problema em um local ele se espalha em todos os outros, devido à baixa umidade e falta de chuva. Então temos chamas na zona oeste, Maricá, região dos Lagos, entre outros pontos”, relatou.

Na segunda-feira (10/2), foi criada uma força-tarefa com representantes das Secretarias de Estado do Ambiente e da Defesa Civil, do Corpo de Bombeiros e das Polícias Militar (PM) e Civil que contará com o auxílio de cinco helicópteros, dois da PM, um da Polícia Civil e dois do Corpo de Bombeiros. O grupo irá atuar em conjunto enquanto durar o período de estiagem. Eles reforçaram os trabalhos no combate ao incêndio no Parque Estadual dos Três Picos, na Região Serrana, iniciado na segunda-feira (10) e controlado ontem.

Padrone informou que a força tarefa vai reforçar a fiscalização e repressão aos baloeiros que costumam soltar balões no Dia das Mães, em maio. “Vamos tentar pegá-los na confecção dos balões, pois no momento da soltura é complicado. Eles costumam soltar balão de madrugada”, comentou ao pedir ajuda à população para que denuncie os baloeiros. "Pedimos que denuncie pelo disque-Denúncia, (21) 22531177”, completou.

De janeiro até o início de fevereiro, foram registrados focos de incêndio nos Parques estaduais Costa do Sol, na Região dos Lagos, do Desengano, no Norte Fluminense, Cunhambebe, na Região Sul do Estado, na Serra da Tiririca, em Maricá, e na Reserva Biológica de Poço das Antas (Rebio), habitat do mico-leão-dourado e a primeira reserva criada no Brasil, no Município de Silva Jardim, Norte Fluminense. O incêndio na Rebio, que começou na sexta-feira (7) já queimou mil hectares de floresta, segundo a Associação Mico-Leão-Dourado.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.