Pernambuco.com



  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Brasília » Polícia prende colombianos suspeitos de golpe contra pequenos empresários Grupo agia emprestando dinheiro a juros abusivos, no Distrito Federal e no Entorno

Correio Braziliense

Publicação: 05/02/2014 10:43 Atualização:

Quadrilha de colombianos: grupo usava violência contra quem não pagasse os empréstimos. Foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A. Press
Quadrilha de colombianos: grupo usava violência contra quem não pagasse os empréstimos. Foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A. Press

Uma quadrilha de colombianos que emprestava dinheiro a juros abusivos para pequenos empresários no Distrito Federal e Entorno foi desmantelada. Policiais cumpriram 17 mandados de prisão durante a operação Bacrim, nesta manhã de quarta-feira (5/2), contra os suspeitos de integrar o grupo de agiotas. O nome da operação é referência ao termo usado no país de origem dos suspeitos, para identificar crimes de extorsão. Os mandados foram cumpridos em Aniqueiras, Águas Claras e Taguatinga.

De acordo com o delegado da Coordenação de Repressão aos Crimes contra o Consumidor, à Ordem Tributária e a Fraudes (CORF) da Polícia Civil, Jefferson Lisboa, os 17 suspeitos - uma mulher e 16 homens - já foram presos e encaminhados ao Departamento de Polícia Especializada (DPE).

Além das prisões, a polícia apreendeu sete motos e dinheiro. A quantia ainda vai ser contabilizada, mas o delegado acredita que tenham sido apreendidos mais de R$ 100 mil. Com a arrecadação obtida com a extorsão, os suspeitos pagavam aluguéis de quatro imóveis e outras dispesas pessoais. A polícia também acredita que parte do dinheiro era enviada para colômbia para o financiamento de outros crimes. 

As investigações começaram em novembro depois que a polícia recebeu várias denúncias anônimas. A polícia descobriu que os colombianos procuravam pequenos comerciantes para emprestar dinheiro, mas cobravam juros diários e abusivos, ao ponto de a pessoa não conseguir pagar mais. O delegado acredita que para um empréstimo de R$ 1 mil, por exemplo, a quadrilha cobrava R$ 60 diariamente. Os comerciantes que não arcavam com as dívidas eram ameaçados e agredidos pelos agiotas.

A Polícia Civil ainda trabalha com a hipótese de que  a quadrilha faça parte de um grupo maior de agiotas que atua em todo o Brasil. É possível que alguns dos suspeitos presos hoje tenham migrados de outros estados brasileiros, onde já eram procurados. A polícia ainda não sabe se os colombianos estavam vivendo de forma legalizada no Brasil.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »