Pernambuco.com



  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Natal » Ato em Natal pede atenção a serviços públicos e critica gastos da Copa

Agência Brasil

Publicação: 22/01/2014 20:24 Atualização:

Funcionários públicos federais e do estado do Rio Grande do Norte protestaram nesta quarta-feira (22) em área próxima à Arena das Dunas, em Natal, que foi inaugurado pela presidenta Dilma Rousseff.

As reivindicações das diferentes categorias que participaram da manifestação são convergentes. Entre elas, destacaram-se críticas aos gastos com a construção do estádio em detrimento de investimentos em saúde, segurança e educação, e pedidos para que a governadora norte-rio-grandense, Rosalba Ciarlini, deixe o cargo.

“Nos últimos anos, o governo do Rio Grande do Norte só pensou em Copa", disse o presidente do Sindicato dos Policiais Civis do estado, Djair de Oliveira. Por isso, explicou Djair, o protesto era também para que o governo federal  subsidie "a saúde, a educação e a segurança, não só para a [realização] Copa”.
Saiba Mais

    Dilma acredita que estádio de Curitiba ficará pronto no prazo

Os funcionários públicos que foram ao protesto saíram por volta das 14h (15h em Brasília) de um shopping center no principal cruzamento de Natal e se dirigiram às proximidades do estádio, em uma caminhada de cerca de 3 quilômetros. Segundo o Sindicato dos Servidores da Saúde do estado (SindSaude), uma das entradas do estádio e um trecho da BR-101 foram bloqueados durante o protesto.

A manifestação foi convocada pelo Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público da Administração Direta do Estado do Rio Grande do Norte. De acordo com a entidade, o protesto teve aprovação dos sindicatos dos servidores da saúde, dos policiais civis, de servidores estaduais, guardas municipais e de funcionários da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

A diretora do SindSaude, Rosália Fernandes, também destacou, entre os objetivos do ato público, o pedido de investimento nos serviços públicos, como, por exemplo, “hospitais padrão Fifa”. De acordo com Rosália, o hospital estadual Monsenhor Walfredo Gurgel, que tem 2 mil funcionários, está  com vários problemas de estrutura. “Há uma lista diária de 20 a 30 pacientes aguardando leito de UTI. Eles sofrem muito, alguns acabam morrendo. Nós chegamos à situação de ter um técnico de enfermagem cuidando de 30 pacientes. Não consegue cuidar”, ressaltou.

Djair e Rosália questionaram ainda a contratação de pessoal no estado. “Nos últimos três anos, os concursos não nomearam nenhum policial. Desde 2008, vivemos um sucateamento, faltam viaturas, trabalhamos com coletes vencidos, armas sucateadas”, disse o representante dos policiais.

Durante o trajeto pelas ruas de Natal, foram exibidos cartazes com dizeres como:  “Fora Rosalba” e “Da Copa eu abro mão. Queremos mais dinheiro para saúde, segurança e educação”. Um caixão com a representação de que a segurança pública estaria sendo sepultada também foi carregado pelos manifestantes.

Pouco antes do início da inauguração, manifestantes bloquearam a passagem de alguns carros da comitiva oficial da Presidência, dentre eles uma van, que foi pichada e teve os vidros quebrados. Segundo a assessoria de imprensa do SindSaude, duas vans e duas ambulâncias que não entraram junto com os carros que acompanharam a presidenta Dilma Rousseff foram bloqueadas por cerca de 30 pessoas.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »