[an error occurred while processing this directive] Briga por plantas na janela de apartamento ganha repercussão na web | Brasil: Diario de Pernambuco
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Brasília » Briga por plantas na janela de apartamento ganha repercussão na web Notificada no início da semana para retirar os vasos expostos no Bloco V da 407 Sul, a autônoma Cláudia Andrade ainda vai tentar convencer os vizinhos a mudar regimento do condomínio

Ana Pompeu - Correio Braziliense

Publicação: 17/01/2014 09:25 Atualização:

Cláudia Andrade está firme no seu propósito de cultivar as plantas na janela e não descarta levar o caso para a Justiça:
Cláudia Andrade está firme no seu propósito de cultivar as plantas na janela e não descarta levar o caso para a Justiça: "Quem não gosta de flores?". Foto: Bruno Peres/CB/D.A. Press
A briga da autônoma Cláudia Andrade, 50 anos, para manter as flores que cultiva há 17 na janela do apartamento onde mora, no Bloco V na 407 Sul, sensibilizou amigos e admiradores de plantas. Esses brasilienses comentaram a história, compartilharam em redes sociais, ligaram para Cláudia dando apoio na luta. São pessoas que se identificam com a paixão pelo verde e que admiraram a obstinação de Cláudia. Desde o fim do ano passado, ela resiste em acatar a exigência do condomínio e retirar as plantas que mantém na janela do apartamento. Do outro lado, estão os que concordam com a ideia do respeito ao regimento interno pela manutenção da ordem, mesmo que o documento seja alterado em favor da moradora do jardim na janela.

“A beleza está no inconsciente das pessoas. Acho que a repercussão aconteceu por isso. Entra na questão da individualidade e do coletivo, da sensibilidade que as pessoas estão deixando de exercer. Quem não gosta de flores?”, questiona. Objetivamente, Cláudia acredita que, ao saber do caso, cada um se lembra de um momento em que gostou de ganhar flores, comprou um vaso para alegrar a casa ou quis agradar a alguém e deu rosas, por exemplo. Por isso, ela decidiu se manter firme.

Mas o impasse continua. No início da semana, Cláudia recebeu mais uma notificação dando a ela um prazo de 15 dias para retirar os vasos. Caso contrário, outra multa poderá ser aplicada — o condomínio decidiu que Cláudia deveria pagar R$ 313 pelo descumprimento da exigência. “Não queria pensar nisso, mas, se continuar assim, devo levar o caso ao Juizado de Pequenas Causas. Estou cogitando até me mudar. Essa confusão já está afetando a minha filha”, lamenta. Antes de tomar uma decisão radical, a condômina quer chamar uma assembleia para debater a mudança do regimento interno e rever a situação.

Outra dona de apartamento no bloco recebeu a mesma notificação. A vizinha de porta de Cláudia, Susana Dourado Ribeiro, 62 anos, mantinha o hábito de cuidar de plantas. “Também não entendi o problema. Mas eu tirei as minhas e as levei para a casa da minha mãe, na 305 Sul. Meu marido pediu, para evitarmos confusão”, explica. No entanto, ela não se conforma. “Hoje, chego ao apartamento e vejo a janela vazia. Não gosto da cena”, diz. O marido completa: “Estamos na contramão do mundo. Todos pensam em ecologia hoje, em plantar mais e cuidar do que é verde”, argumenta Jorge Alves Ribeiro, 58. Ele pretende estudar outra maneira de dar um jardim à mulher, mesmo que fique dentro de casa.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.