• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Maranhão » Senadores vão vistoriar presídio de Pedrinhas em uma diligência parlamentar Mais de 60 detentos foram assassinados no local desde o início de 2013

Étore Medeiros

Publicação: 11/01/2014 11:55 Atualização: 11/01/2014 13:44

A Comissão de Direitos Humanos (CDH) do Senado Federal promoverá, na segunda-feira, uma diligência ao Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís, onde 62 detentos foram assassinados desde o início do ano passado. Além da presidente da CDH, senadora Ana Rita (PT-ES), viajarão ao Maranhão os senadores João Capiberibe (PSB-AP), Randolfe Rodrigues (PSol-AP) e Humberto Costa (PT-PE). “No primeiro momento, vamos fazer um diagnóstico da situação, sobretudo com relação às providências adotadas, para monitorá-las e acompanhá-las de perto”, explica Ana Rita.

De acordo com a senadora, um balanço da visita deverá ser apresentado durante a primeira reunião ordinária da comissão, em 5 de fevereiro. Ela acredita que uma eventual intervenção federal no sistema penitenciário maranhense depende da efetividade das medidas traçadas para resolver o problema. “Falei com a governadora Roseana Sarney por duas vezes e conversei com pessoas de lá. Vamos acompanhar as iniciativas na medida do possível. Se elas forem efetivas, não há necessidade de intervenção”, afirmou a parlamentar.

O roteiro dos senadores, além de visita ao Complexo Penitenciário de Pedrinhas, com acompanhamento da Polícia Federal, incluirá encontros com a Sociedade Maranhense de Direitos Humanos, a governadora Roseana Sarney, o Ministério Público do Maranhão e o Tribunal de Justiça do estado. É possível que os parlamentarem se encontrem com a família de Ana Clara Santos. A menina de 6 anos morreu após sofrer queimaduras em 95% do corpo durante os ataques de 3 de janeiro contra ônibus e postos policiais, encomendados por detentos que comandam facções criminosas em Pedrinhas.

A presidente Dilma Rousseff se pronunciou ontem sobre Pedrinhas por meio de uma rede social e disse que tem acompanhado “a questão da segurança” no Maranhão. “Em dezembro, determinei o envio da Força Nacional para apoiar as ações de segurança do governo do Maranhão. O Ministério da Justiça ofereceu vagas em presídios federais para transferência de presos”, declarou.

Dilma citou ainda outras medidas da pasta, comandada por José Eduardo Cardozo, como o apoio a um “mutirão de defensores públicos, para análise da situação dos presos” e o aumento do efetivo da Força Nacional no estado. A presidente não esqueceu da aliada Roseana Sarney, que “anunciou a criação de um comitê gestor integrado”. Por fim, disse que as medidas “são similares” às já encaminhadas pelo governo em outros estados.
Tags:

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.