Pernambuco.com



  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Correios » SP: carteiros retomam entregas em áreas violentas, mas voltam a ser assaltados

Agência O Globo

Publicação: 27/12/2013 13:14 Atualização:

A Justiça obrigou os Correios a voltar a fazer entregas de encomendas em Campinas, Sumaré e Jundiaí, no interior de São Paulo, cidades consideradas áreas de risco de assaltos contra os funcionários, de acordo com o Ministério Público do Trabalho (MPT). Porém, já no primeiro dia de trabalho após a pausa de quatro dias, entregadores foram roubados. Em 2013, segundo dados do sindicato da categoria, foram quase 200 casos de assalto nos três municípios. Ministério Público do Trabalho vai recorrer da decisão do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região de suspender a liminar que proibia a entrega de encomendas dos Correios.

A Guarda Municipal de Campinas vai dar apoio aos Correios. Depois de se reunir com a direção da estatal em Campinas, o secretário municipal de segurança pública da cidade, Luiz Augusto Baggio, decidiu reforçar a segurança em áreas de risco atendidas pelos Correios na cidade.

De acordo com informações da prefeitura, os guardas municipais da cidade serão previamente informados sobre os roteiros de entrega para intensificarem a presença policial. Das 73 áreas consideradas de risco para funcionários dos Correios, pelo menos dois terços estão na cidade de Campinas.

A atenção especial será dada pelo menos até 20 de janeiro, data em que a estatal promete colocar em atividade um serviço de escolta armada terceirizada, que acompanhará os carteiros nas áreas consideradas mais perigosas.

Liminar
No dia 19, uma liminar na 10ª Vara do Trabalho suspendeu a entrega em 73 áreas das três cidades, a pedido do MPT, diante dos assaltos aos carteiros. Mas, na terça-feira, véspera de Natal, os Correios conseguiram derrubar a liminar.

Em nota divulgada nesta sexta-feira, o Ministério Público do Trabalho informa que não foi intimado da decisão do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região, "relativo ao Mandado de Segurança impetrado pela empresa, mas informa que vai recorrer caso tenha havido a suspensão dos efeitos da tutela antecipada (liminar) pretendida por este órgão, conjuntamente com o Sindicato dos Trabalhadores dos Correios, coautor da ação civil pública".

O sindicato da categoria estima que serão necessários dez dias para que o volume de encomendas acumuladas seja entregue. Na maior unidade de Campinas, são oito mil objetos parados. Muitas pessoas estão indo às agências para retirar seus pertences.

Assalto
Nesta quinta-feira, entregadores dos Correios seguiam com encomendas em uma van quando foram abordados por criminosos em duas motos, no bairro Vida Nova, em Campinas. Eles renderam o motorista, obrigaram os ocupantes a descer e fugiram com o carro. O motorista foi amarrado e abandonado em um matagal. O bairro consta da lista de regiões perigosas para os carteiros, segundo o sindicato.

A polícia desconfiou quando viu que o condutor da van não usava uniforme dos Correios. Abordado pelos agentes, e acabou contando onde a carga estava. Tudo foi recuperado, e um dos ladrões foi preso e levado para a Polícia Federal. O outro assaltante conseguiu fugir. Os Correios não se manifestaram sobre o assalto nem sobre a liminar.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »