Pernambuco.com



  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Violência » Força Nacional é chamada para atuar em Rondônia, após série de ataques Sete pessoas morreram e pelo menos 10 ficaram feridas em possível retaliação a uma operação para combater quadrilhas que agem dentro e fora de presídios

Correio Braziliense

Publicação: 21/12/2013 09:39 Atualização: 21/12/2013 09:41

Depois de uma série de ataques criminosos em Porto Velho (RO), entre a noite de quinta-feira e a madrugada de sexta-feira, policiais da Força Nacional de Segurança que já estavam no estado foram acionados para atuar no patrulhamento da cidade. Homens em motocicletas percorreram as zonas Leste e Sul da capital rondoniense e atiraram contra pessoas que estavam em bares e em paradas de ônibus. Sete pessoas morreram e pelo menos 10 ficaram feridas.

Por causa dos ataques, que lembram os que foram praticados durante a onda de violência em São Paulo, no ano passado, a Polícia Rodoviária Federal também prestará apoio, tanto aéreo quanto terrestre. Uma das linhas de investigação para explicar os ataques é a de que bandidos tenham feito uma retaliação a uma operação deflagrada durante a quinta-feira para combater quadrilhas que agem dentro e fora de presídios. Outra hipótese seria a de acerto de contas entre facções criminosas.

O primeiro atentado aconteceu no início da noite de quinta-feira, na Zona Leste de Porto Velho, quando homens em três motos dispararam contra um bar e mataram uma pessoa que estava no local. Logo depois, atiraram contra um ponto de ônibus. A onda de violência deixou os moradores da cidade assustados. Porto Velho amanheceu com marcas de tiros em lojas, casas e veículos, além das manchas de sangue no caminho por onde os bandidos passaram. As ruas ficaram vazias, e o comércio fechou mais cedo. Um shopping da capital divulgou nota, ontem, informando que reduzirá o horário de funcionamento por causa do “cenário de instabilidade”.

Em entrevista a um programa de tevê local, o governador de Rondônia, Confúcio Moura, confirmou que pelo menos um policial foi assassinado nos ataques e disse que medidas estavam sendo tomadas. “Quero tranquilizar a população de Porto Velho sobre os últimos acontecimentos, muitos tiroteios pela madrugada, que estão colocando certo pânico, mas as ações policiais são visíveis e rápidas”, declarou.

Segundo Moura, um grupo formado por representantes do Ministério Público, das polícias Federal, Militar, Civil e Federal Rodoviária, além de representantes do Corpo de Bombeiros e do Tribunal de Justiça do estado reuniram-se, na manhã de ontem, para discutir como evitar novos episódios de violência. “Estamos buscando também agentes que estavam cedidos (para outros órgãos) para irem à rua, e só de estarem rondando, os crimes caem 40%”, disse o governador.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »