Pernambuco.com



  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Pesquisa » Brasil tem o terceiro maior banco de medula óssea do mundo, segundo o Inca

Agência Câmara

Publicação: 17/12/2013 21:39 Atualização:

O Brasil já tem mais de 3 milhões de doadores de medula óssea cadastrados, atrás apenas dos Estados Unidos e da Alemanha. De acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), 90% dos pacientes que aguardam um transplante no País já encontram doador compatível.

Melhorar a infraestrutura do Sistema Único de Saúde (SUS) para os transplantes, entretanto, ainda é um desafio. O assunto foi debatido em audiência pública nesta terça-feira (17) na Comissão de Seguridade Social e Família.

A diretora do Departamento de Atenção Hospitalar e de Urgências do Ministério da Saúde, Maria do Carmo, disse que são indiscutíveis os avanços da política setorial no tocante ao número de transplantes, investimentos em estrutura e capacitação.

Há 71 centros de transplante no País, 80% deles públicos. Atualmente, há 1227 cadastrados em busca de doador de medula compatível. O transplante de medula pode curar em torno de 80 doenças. Só neste ano, o número de transplantes de medula deve chegar a 280, um crescimento de cerca de 8% em relação ao ano passado.

Doadores compatíveis
O diretor do Centro de Transplante de Medula Óssea do Inca, Luiz Fernando Bouzas, ressaltou que são grandes as dificuldades de encontrar doadores compatíveis, principalmente em uma sociedade altamente miscigenada e com grande diversidade genética, como a brasileira.

Bouzas disse ainda que a primeira alternativa é sempre o doador familiar, normalmente o irmão. Segundo informou, essa modalidade atende 30 % dos transplantados. Os outros 70% recorrem aos registros nacionais e internacionais porque as características genéticas se repetem na população. "Por isso, o grande sucesso do Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome) é um avanço".

No Brasil, há 57 centros de recrutamento de doadores, os hemocentros. "A existência do banco de sangue garante o registro da diversidade genética em cada região", afirmou Bouzas, lembrando que ainda são poucos na região Norte e Nordeste, mas que há planos para expansão. Os bancos públicos de cordão umbilical, que armazenam sangue coletado na hora do parto, já somam 17 mil amostras sanguíneas, 170 já foram usadas em transplantes.

O dirigente reconhece, no entanto, que com melhores centros de transplantes, os resultados poderiam ser melhores. "Poderíamos ter ampliação do serviço. Há poucos centros que fazem transplantes em crianças, por exemplo."

Para o deputado Paulo Foletto (PSB-ES), o médico deve ser valorizado e defendeu a revisão da tabela de remuneração do SUS. Ele que é cirurgião geral afirma que hoje um médico chega a receber R$ 50 por uma cirurgia de vesícula.

Redução da toxidade
Outro problema a ser resolvido, segundo Bouzas, é a redução toxicidade associada ao tratamento, o que poderia ser resolvido com a autorização de medicamentos para prevenção e controle de complicações que ainda não estão disponíveis no Brasil.
Luis Macedo / Câmara dos Deputados
Comissão de Seguridade Social e Família (CSSF) promove a Semana de Mobilização Nacional para Doação de Medula Óssea. Evento para cadastramento e coleta de sangue de doadores de medula óssea
Nesta terça-feira, houve coleta de amostras de sangue e cadastramento de pessoas que querem ser doadores de medula óssea.

Para o deputado Beto Albuquerque (PSB-RS), autor do projeto que virou lei criando a semana de mobilização para doação, faltava conhecimento sobre a possibilidade de doação, por isso não havia doadores. Ainda hoje, há 20% de deserção dos registrados. Por isso, o deputado apresentou projeto de lei para que os bancos de sangue não recusem doações. Há limites a serem respeitados nos estados e o deputado é contra. "Esse doador tem de ser celebrado, aplaudido, temos que manter o entusiasmo da população para se cadastrar", concluiu.

O doador voluntário deve ter entre 18 e 55 anos e não ser portador de doença transmissível pelo sangue.
Incentivo para doadores

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »