Pernambuco.com



  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Obras » Ministério do Trabalho libera os três últimos guindastes do Itaquerão

Agência Brasil

Publicação: 13/12/2013 18:28 Atualização:

 três últimos guindastes da obra do Itaquerão, o estádio do Corinthians, que estavam interditados desde o acidente ocorrido em novembro, foram liberados hoje (13), após vistoria do Ministério do Trabalho e Emprego. O acidente provocou a morte de duas pessoas. O Itaquerão será o palco da cerimônia e do jogo de abertura da Copa do Mundo, em junho do ano que vem.

No início da semana, cinco guindastes foram liberados e voltaram a funcionar. Com isso, oito dos nove guindastes que eram usados na obra foram liberados. Agora, falta apenas a remoção do guindaste que caiu, o que só deverá ser feito após uma perícia no local, que ainda não foi marcada, porque é preciso escolher o instituto que fará a análise. O Ministério do Trabalho informou à Agência Brasil que há três institutos no Brasil capazes de fazer a perícia. Um deles é o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA).

“Apontamos as falhas que precisavam ser corrigidas nos equipamentos, e a empresa fez as alterações. Agora estamos definindo o instituto que fará a análise do guindaste que desabou, e cobrando um posicionamento em relação ao excesso de horas extras e sobrecarga de trabalho dos operários”, disse o superintendente regional do Trabalho e Emprego de São Paulo, Luiz Antonio Medeiros.

Segundo o ministério, um plano apresentado pela Odebrecht prevê que seja removido até 15 de janeiro o guindaste acidentado, que era o maior em operação do país. Por ser um guindaste grande, a remoção deverá demorar dias. O ministério também informou que, até 15 de fevereiro, novos guindastes deverão ser instalados para retomar o trabalho que era feito pelo equipamento que caiu.

Em nota à imprensa, a Odebrecht confirmou a liberação dos três últimos guindastes. “Todos os oito guindastes em operação foram analisados e liberados pelo órgão”, disse a empresa.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »