Pernambuco.com



  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Mulher » Mulheres com deficiência enfrentam dificuldades para relatar violência, diz deputada O combate à violência contra as mulheres está sendo debatido neste momento pelo Plenário. Internautas podem participar da discussão por meio do portal e-Democracia.

Agência Câmara

Publicação: 04/12/2013 19:56 Atualização:

A deputada Rosinha da Adefal (PTdoB-AL) destacou há pouco que, se as mulheres em geral já são vítimas preferenciais de violência, para as mulheres com deficiência a situação é muito mais grave. “Imagine o que é uma cidadã surda chegar a uma delegacia porque sofreu violência doméstica e ninguém fala Libras”, destacou.

Rosinha ressaltou também a situação de mulheres cegas, que sofrem agressões e abusos em lugares públicos, como ônibus, “e ninguém ouve nem vê”. E acrescentou: “pensem em uma mulher com deficiência mental que chega à delegacia e ninguém a ouve, porque é a 'doidinha'”.

A parlamentar participa neste momento de comissão geral sobre o combate à violência contra as mulheres. O evento, que ocorre no Plenário Ulysses Guimarães, é promovido pela Secretaria da Mulher da Câmara conjuntamente com a bancada feminina do Congresso e encerra as atividades da campanha “16 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres”.

Participação popular
Participe da discussão enviando perguntas e comentários pelo Disque Câmara (0800 619 619) e pelo portal e-Democracia.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »