Crise de combustível Cresce demanda pelo Bike PE Recifenses trocam o carro particular pela bicicleta de aluguel. Em uma semana, crescimento foi de 34%

Por: Tânia Passos - Diário de Pernambuco

Publicado em: 30/05/2018 09:27 Atualizado em: 30/05/2018 09:45

Número de cadastrados saltou de 1.887, em novembro de 2017, para 13.296 em abril deste ano. Foto: Marlon Diego/Esp. DP
Número de cadastrados saltou de 1.887, em novembro de 2017, para 13.296 em abril deste ano. Foto: Marlon Diego/Esp. DP

Em meio à alta dos preços dos combustíveis, que culminou na greve dos caminhoneiros e na falta do produto nos postos, uma parcela da população tem migrado para a bicicleta como meio de locomoção. O sistema de aluguel Bike PE é um dos termômetros para avaliar o atual processo de mudança na classe média nos últimos seis meses. O número de pessoas cadastradas saltou de 1.887, em novembro de 2017, para 13.296 em abril deste ano, aumento superior a 700%.

A Tembici, que opera o sistema com patrocínio do banco Itaú, registrou aumento de 34% no número de viagens, entre os dias 21 e 27 de maio, em relação ao período de 14 a 20 de maio, anterior à paralisação dos caminhoneiros. Foram 16.730 viagens de 21 a 27. O recorde foi contabilizado no domingo, com 3.498 viagens.

Além do crescimento no número desse indicador, também houve aumento no cadastro do sistema. Na última semana houve um crescimento de 187%. Na semana de 14 a 20 de maio foram realizados 854 cadastros. Já no período de 21 a 27 de maio, o sistema contabilizou 2.450 novos cadastros, praticamente o acumulado de um mês. Nesse período também foi lançado um plano especial diário no valor simbólico de R$ 0,10 até o dia 31 de maio.

Usuário do Bike PE, o estudante de arquitetura Jonas Athias, 25 anos, encontrou a forma mais rápida e barata para se locomover de Boa Viagem até o Bairro do Recife. Não se preocupa com trânsito, combustível ou estacionamento. “Com o VEM Estudante, eu não pago nada e demoro menos de 40 minutos de casa para o trabalho”, contou. Quando não vem de ônibus, ele costuma alternar duas rotas de bicicleta.

"Às vezes pedalo até o Parque das Esculturas, no Pina, e de lá atravesso em um barquinho, onde pago R$ 3. Deixo a bike na Estação da Praça do Arsenal ou venho pela Ponte do Pina e pelo Cais José Estelita. Pelo cais é melhor porque não pago nada”, contou.

Outra vantagem de usar uma bicicleta do Bike PE, segundo Athias, é não se preocupar em ter que guardá-la para a volta. “Depende muito da hora que eu saio. A iluminação à noite é precária e muitas vezes vou para casa de carona ou ônibus e não tenho que me preocupar em levar a bicicleta de volta, mas conheço muita gente que usa a própria bike. É uma escolha”, disse.

O momento atual pode ser uma janela para estimular o uso do modal e reduzir o impacto do transporte rodoviário, mas esse movimento pode esbarrar na infraestrutura ainda insuficiente. No Recife são apenas 51,4 quilômetros de rotas cicláveis e há descontinuidade da malha.

O ciclista Fernando Lima não acredita que a classe média seguirá nessa mudança de modal após a situação dos postos se normalizar. “Não é uma infraestrutura viária atraente e o poder público não vai mudar esse quadro a curto prazo. Vai continuar na bicicleta quem já vinha usando antes da crise”, arrisca. Ele aponta o trabalhador que depende da bicicleta para se locomover todos os dias como o mais esquecido nas políticas públicas. “A classe média tem um maior poder de mobilização, mas em breve voltará para o carro e tudo vai continuar do mesmo jeito para usa a bicicleta todos os dias”.

A última pesquisa de Origem-Destino feita pela Prefeitura do Recife aponta que apenas 4,5% dos trabalhadores usam a bicicleta para se locomover. “A pesquisa foi feita pela internet, mas o trabalhador de perfil que mais usa o modal não tem acesso à web para responder um questionário. Por isso esses dados não refletem a real situação”, opina Guilherme Jordão, da Associação Metropolitana dos Ciciclistas do Grande Recife (Ameciclo).
 
Saiba mais

Números do Bike PE

80 estações

800 bicicletas

13.296 cadastrados até abril de 2018

1.887 cadastros até novembro de 2017

Crescimento na semana de 21 a 27 de maio de 2018

34% de aumento nos cadastrados na última semana

16.730 viagens realizadas no período

187% de aumento no cadastro no período

2.450 novos cadastros nesse período

R$ 0,10 centavo o valor diário do plano até 31 de maio

Como se cadastrar

Com cartão VEM

Insira o cartão na vaga da bicicleta escolhida. É necessário ativar o cartão pelo site ou app Bike Itaú

Utilizando seu cartão Bike PE

Insira o cartão na vaga da bicicleta escolhida

App Bike Itaú

Necessário cadastro. Pode ser realizado pelo próprio aplicativo ou pelo site


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.