Série Conheça as propostas dos candidatos voltadas para o ciclismo

Publicado em: 18/09/2014 22:23 Atualizado em: 19/09/2014 08:35

Após tratar temas como defesa animal e turismo, a terceira matéria da série que mostra as propostas dos principais candidatos ao governo de Pernambuco, Armando Monteiro (PTB) e Paulo Câmara (PSB), para os assuntos que a cobertura jornalística do portal abrange, irá exibir as ideias de campanha para o ciclismo. Apesar de ser um importante modal na Região Metropolitana do Recife, utilizado como meio de locomoção e trabalho, as promessas ainda aparecem bem enxutas.

Com uma malha cicloviária de 21,7 quilômetros, o Recife está longe de ser uma das cidades brasileiras que mais tem pistas para a modalidade. Como é o exemplo do Rio de Janeiro, que tem 240 quilômetros de ciclovias implantadas ou de Curitiba, com 120, representando cerca de 2% da malha viária total nessas cidades. Apesar da pouca representatividade como meio de transporte e ainda precisar dividir com os carros o pouco espaço que resta nas vias, pesquisas realizadas por organizações formadas por ciclistas, como a Associação Metropolitana de Ciclistas do Grande Recife (Ameciclo), que prevê a democratização das vias públicas, destacam o uso crescente de bicicletas na cidade.

As rotas cicláveis ainda são insuficientes e o tráfego por espaços não adequados aumenta o risco de acidentes entre a população que depende deste meio de transporte seja para ir ao trabalho, passear ou trabalhar. Em avenidas como Rui Barbosa, Estras do Arraial e de Belém chegam a circular mais de cem ciclistas por hora, segundo levantamento da Ameciclo. As rotas que poderiam oferecer para quem pedala estrutura e, principalmente, segurança, são as mais perigosas por ter grande fluxo de veículos.

 (Arte/DP/D.A Press)


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.