Comportamento Por conta da greve, usuários de ônibus adotam a bicicleta

Por: Carolina Braga

Publicado em: 25/08/2014 17:40 Atualizado em: 25/08/2014 21:18

A estudante Ana Beatriz decidiu fazer o percurso até o trabalho de bicicleta. Foto: Bernardo Dantas/DP/D.A Press
A estudante Ana Beatriz decidiu fazer o percurso até o trabalho de bicicleta. Foto: Bernardo Dantas/DP/D.A Press
Na última sexta-feira (22), quando soube da suspensão do reajuste salarial oferecido aos trabalhadores rodoviários pelo presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ministro Barros Levenhagen, que acarretou em paralisação e diminuição da frota de ônibus no Recife e na Região Metropolitana, a estudante Ana Beatriz Vieira, 21 anos, decidiu fazer o caminho até o trabalho pedalando.

Assim como Ana Beatriz, outras pessoas também decidiram usar a magrela para fazer seus caminhos hoje. No projeto Bike Pe, foram registradas 770 viagens até agora, sendo que a média de segunda a sexta-feira é de 1100, segundo a assessoria de imprensa. Foi avaliado um aumento de 36,36% de aumento no número de viagens. As 80 estações estão divididas entre as cidades de Olinda, Recife e Jaboatão dos Guararapes e contam com 800 bicicletas.

Para evitar qualquer transtorno durante o percurso, a melhor saída achada pela estudante foi andar de magrela. Como não tem alguma, utilizou uma das estações do projeto Bike Pe próxima a casa onde mora para ir até o trabalho, localizado no bairro do Recife. "Na sexta-feira fui de bicicleta trabalhar e hoje de manhã também. Apesar de não ter uma, os locais por onde ando têm estações, então ficou fácil", conta.

Na primeira vez dela pedalando pelas ruas da cidade, fez o caminho mais conhecido, o mesmo da linha de ônibus que costuma pegar. "Eu peguei os piores caminhos, os mais movimentados. Acabei sendo trancada por um carro, caí no chão e fiquei toda ralada. Mesmo assim foi bom como experiência, já que eu pretendo continuar usando a bike como meio de transporte. Vou perder o medo enfrentando ele."

Para quem não tem costume de pedalar, a greve dos trabalhadores rodoviários pode ser um bom incentivo para começar a usar a bike, além desde exercício ser bom para o ciclista, também faz bem para o meio ambiente e evita congestionamentos no trânsito da cidade. Mas é importante lembrar de utilizar os equipamentos de segurança, como capacete e luvas. "Se eu estivesse com roupas apropriadas, não teria me machucado tanto. Vou começar a investir em equipamentos de segurança", diz.

Algumas dicas são sempre preferir usar uma bicicleta sinalizada e dirigir sempre na faixa da direita,  mantendo uma distância segura do meio-fio. "É importante manter uma distância segura de carros ou outros veículos, mais ou menos de um metro e meio. Para quem estar começando não é indicado fazer corredor entre os veículos e nem pedalar em alta velocidade", resume o ciclista e organizador do grupo Pedala Janga, Senyr Sampayo.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.