BikePE Ciclistas devem estar atentos ao tipo e à manutenção dos pneus

Por: Mariana Fabrício - Diario de Pernambuco

Publicado em: 28/11/2013 15:44 Atualizado em: 06/05/2014 03:01

De acordo com o coordenador do grupo Pedal 100, Andro Bartholo, o uso do pneu inadequado podem gerar graves consequências. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press
De acordo com o coordenador do grupo Pedal 100, Andro Bartholo, o uso do pneu inadequado podem gerar graves consequências. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press

Fundamental para manter a segurança e o desempenho do ciclista, os pneus merecem atenção especial, mesmo para quem costuma usar a bike apenas no final de semana. Desde a compra até a calibragem, cuidados são essenciais para evitar inconvenientes, como estouro e rachaduras. Seja para fazer trilha, andar em estrada ou na cidade, a escolha correta deste componente garante a melhor performance na modalidade para qual ele será utilizado. O mercado oferece diversas opções e preços diferentes, mas na hora de escolher o pneu ideal, é preciso considerar o tipo de bike e a aplicação.

Responsáveis pela tração, frenagem e curvas, os pneus são divididos em diferentes tipos com características para cada terreno. De acordo com o coordenador do grupo Pedal 100, Andro Bartholo, o uso do pneu inadequado podem gerar graves consequências. “Não é indicado usar um pneu indicado para estrada, por exemplo, em uma trilha. Ele vai ter pouco atrito e pode derrapar, causando acidente”, diz.

Outras consequências podem ser o desgaste do pneu e um menor desempenho. “Caso o pneu tenha muito atrito e seja usado em cidade, a pessoa vai ter mais dificuldade para caminhar porque a bicicleta vai perder velocidade. Além disso, a borracha vai desgastar mais rápido, exigindo uma troca do pneu em curto prazo”, explica.

Os tipos de pneus podem variar de acordo com a finalidade. Para andar pela cidade, no asfalto, o indicado é o modelo Slicks, que é totalmente liso e fino. Por ter menos atrito com o solo, ele possibilita uma velocidade maior. Se o objetivo é um esporte radical, em terreno acidentado, o indicado é utilizar aqueles que tenham mais cravos, conhecidos como pneu para trilha. As partes elevadas de borracha permitem maior atrito e tração, evitando que a bicicleta derrape. Existe ainda o modelo misto, que é liso no meio e tem cravos nas laterias, permitindo uma caminhada tranquila no barro e em trilha leve.

Para quem está montando ou comprando a primeira bike, Bartholo aconselha a escolha do tipo misto, pois ele garante bom desempenho em tipos diferentes de terrenos. "Para os ciclistas que estão começando agora e não sabem qual modalidade vão seguir, o indicado é escolher o tipo misto. Assim, é possível andar pela cidade, como também se arriscar em trilhas ou terrenos pouco acidentados", afirma.

Outro fator que merece atenção é o preço, pois eles variam bastante dependendo do tipo e do fabricante. Os valores pode ir de R,00 até R$ 500,00. O que também pode alterar o quanto vai ser pago é o material que o compõe. “Os materiais mais usados são Kevla e arame. A diferença é que o primeiro é dobrável, facilitando na hora de transportar. Ele também é mais leve, fácil de trocar e não tem aro, no entanto pode ser mais caro”, afirma.

Depois da escolha feita, é preciso deixar o pneu sempre calibrado e limpo para aumentar a vida útil e garantir um bom resultado na hora de pedalar. “Não é recomendado deixar os pneus tradicionais dobrados e guardados porque podem ficar com algumas marcas que prejudiquem na caminhada. O correto é manter a bike suspensa e os pneus sempre calibrados. Pneu fino e liso, deve ser de 100 a 110 libras, com cravos ou largos, de 40 a 50, assim como os mistos", informa.



TAGS:

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.